Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 23out

    Caravanas da mentira

    Sem qualquer constrangimento ético, muito menos receio de transgredir a legislação eleitoral, o presidente da República mobiliza todo o aparato federal em torno do objetivo primordial da administração petista: eleger a ministra chefe da Casa Civil.

    A candidatura da ministra Dilma Rousseff é a tônica de todos os movimentos da ação governamental. O “planejamento” está atrelado ao marketing oficial e o cronograma de viagens segue à risca os impositivos de caráter eminentemente eleitoreiros. O governo age e reage sob os ditames de um projeto de poder que, apesar do revezes sofridos, prossegue à plena caldeira.

    O aparato logístico e a grandiloqüência das falas presidenciais ao vistoriar em caravana “uma das maiores obras do mundo”, em palanques armados às margens do rio São Francisco, reforçam a postura do governo Lula de desafio crescente à Justiça Eleitoral.

    Como questionou o ministro Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal, é lícito transformar eventos rotineiros governamentais em comício?

    As recentes “inspeções” no Nordeste demonstram que a administração do presidente Lula não possui limites para utilização de recursos públicos em eventos ostensivamente eleitoreiros.

    Como a oposição tem um dever a cumprir e não pode se omitir, DEM, PSDB e PPS representaram junto ao Tribunal Superior Eleitoral contra os atos que configuram flagrante descumprimento das normas eleitorais.

    As decisões no dia a dia da gestão de Estado são motivadas por razões absolutamente alheias à esfera do interesse público. Uma antecipação desnecessária do calendário eleitoral que presta desserviço sem precedentes ao País.

    É visível que questões cruciais estão sendo esquecidas e relegadas a plano secundário. O crescimento da violência é um exemplo, sem falar no sucateamento da saúde. O império do crime impõe regressão à barbárie e transforma a população em refém de ações criminosas.

    Numa escalada ao arrepio da lei, o governo do presidente Lula, ao invés de fortalecer e prestigiar aqueles que fiscalizam e impõem a observância do ordenamento jurídico, patrocina um verdadeiro coral de vozes para constranger a ação das instâncias fiscalizadoras, como o TCU.

    A frouxidão moral e ética respinga e se reproduz nas entranhas do aparelho de Estado. A prática reiterada da mentira se cristaliza no cotidiano do governo, juntamente com o cacoete de acobertar os responsáveis por eventuais desmandos.

    O surgimento de uma agenda que confirmaria a data do encontro tantas vezes negado entre a ex-secretária da Receita e a ministra da Casa Civil reaviva suspeitos desmentidos anteriores: dossiê com gastos de FHC, interferência ministerial nas negociações que envolveram a venda da Varig e divulgação de currículo falso.

    Não há compromisso com a verdade, e o projeto de nação foi substituído por um projeto de poder. Mais do que nunca é necessário fazer do exercício de governar um processo competente, escoimado da mentira e do compadrio.

    Senador Alvaro Dias – 1º vice- líder do PSDB

    Publicado por jagostinho @ 15:34



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

2 Respostas

WP_Cloudy

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.