Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 04mar

    UOL/NOTÍCIAS

    A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, afirmou nesta quarta-feira (3) que

    Hillary com estudantes

    confia na democracia brasileira e que acompanhará as eleições presidenciais no Brasil.

    “A próxima eleição [no Brasil] vai ser excitante e quem quer que ganhe terá boa relação com os EUA”, disse Hillary em um “encontro-entrevista” com jovens, representantes de ONGs e do governo na Universidade Zumbi dos Palmares, em São Paulo.

    “Acredito que os EUA e o Brasil são os países mais parecidos do mundo. Ambos são grandes, dinâmicos e felizes a maior parte do tempo”, disse Hillary.

    A visita da secretária ao Brasil faz parte de um giro diplomático pela América Latina. Antes do evento em São Paulo, a secretária encontrou com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e com chanceler brasileiro, Celso Amorim, em Brasília.

    A primeira pergunta direcionada à secretária no encontro em São Paulo foi sobre o programa nuclear iraniano. Hillary voltou a dizer o mesmo que havia dito horas antes em Brasília.

    Segundo ela, tanto o Brasil como os EUA querem evitar que o Irã produza uma bomba nuclear, fato constantemente negado pelo regime de Teerã. “Às vezes precisamos colocar pressão para conseguir um diálogo sincero”, disse referindo-se às sanções defendidas pelos EUA.

    Questionada se o Brasil deveria seguir a mesma política internacional dos norte-americanos, respondeu que “o Brasil é um ator global com mente independente, ele pensa nos seus próprios interesses econômicos e de segurança, assim como os Estados Unidos. Mas a questão principal é o que fazer com o Irã. Esperamos apoio para uma ação úncia contra o país”

    Hillary também afirmou que os EUA querem apoio do Conselho de Segurança da ONU para dar uma mensagem ao Irã de que o país persa pode ter energia nuclear, mas não tem direito a armas nucleares.

    “Eles têm direito de manter um programa nuclear, mas não de fabricação de armas nucleares. Os países do Oriente Médio vão pensar: ‘Se o Irã me ameaça e tem armas nuclares, também preciso ter'”, explicou.

    Publicado por jagostinho @ 13:30



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Uma resposta

WP_Cloudy

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.