Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 23mar

    G1

    O depoimento emocionado de Ana Carolina Oliveira, mãe de Isabella, morta em março de

    Tristeza sem fim

    2008, marcou o primeiro dia do julgamento do pai da menina, Alexandre Nardoni, e da madrasta, Anna Carolina Jatobá, acusados da morte dela, nesta segunda-feira (22).

    O primeiro dia do júri teve início, com atraso, após as 14h15 e terminou às 21h55.

    Durante o testemunho, que começou por volta das 19h30, Ana Carolina chorou por diversas vezes. A primeira delas foi quando se recordou do momento em que encontrou a menina de 5 anos caída na grama do edifício London.

    Ao relatar a trajetória da menina até o hospital, onde foi confirmada a morte da garota, a mãe chorou outras três vezes.

    Ana Carolina se emocionou ainda ao falar sobre uma discussão com Jatobá ainda no prédio. Segundo a mãe, a madrasta gritava muito durante todo o tempo. “Chegou um momento que os gritos dela começaram a me irritar.”

    Ana Carolina disse que Alexandre jamais conversou com ela sobre o que ocorreu no apartamento, mesmo durante o velório da menina.

    Durante o depoimento, a mãe contou detalhes do relacionamento com Nardoni e disse que ele era violento em algumas ocasiões, chegando, inclusive, a jogar o filho no chão uma vez.

    Apesar do fim do depoimento, Ana Carolina terá de ficar à disposição da Justiça. O pedido foi feito pelo advogado de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, Roberto Podval, e aceito pelo juiz Maurício Fossen. Segundo Podval, pode ser necessária uma acareação no decorrer do júri.

    Mas o promotor Francisco Cembranelli considerou “lamentável” o pedido da defesa. “Eu considerei lamentável, um comportamento desumano. Ana Carolina, além de perder a filha, vai ser privada de assistir ao julgamento.

    Vai sofrer bastante, vai ficar sozinha, absolutamente isolada”, afirmou o promotor, que ressaltou que Ana Carolina ainda passa por acompanhamento psicológico

    Além de Ana Carolina, uma das juradas também se emocionou durante o júri. A mãe de Isabella falava sobre o momento em que foi ao hospital após a queda e ficou sabendo da morte da menina. A jurada não se segurou e foi às lágrimas.

    Anna Carolina Jatobá e Alexandre Nardoni saíram do fórum e foram levados para unidades prisionais da capital cujos endereços não foram divulgados pela polícia por questões de segurança.

    Publicado por jagostinho @ 09:06



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

3 Respostas

WP_Cloudy
  • marina Disse:

    que tristeza ver uma mãe ter que recordar tudo de novo. Que esses assassinos tenham punição exemplar

  • laura Disse:

    engraçado a defesa alegar que uma terceira pessoa tinha entrado no apartamento. Entrou só pra jogar a menina? Tenham paciencia! Se tivesse pena de morte é o que eles mereciam.

  • andré Disse:

    as provas são contundentes. E o pai já tinha sido violento outras vezes. Vão apodrecer na cadeia.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.