Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 24mar

    PARANÁ ONLINE/ELIZABETE CASTRO

    Verri: a proposta vem aí

    O senador Osmar Dias (PDT) assumiu o compromisso com o presidente estadual do PT, deputado estadual Ênio Verri, de oficializar até o próximo dia 10 de abril a proposta de aliança para a eleição ao governo do Estado.

    No dia 10, o diretório estadual do PT irá se reunir para deliberar sobre sua política de alianças do partido no Paraná. O presidente estadual do partido, deputado Ênio Verri, disse que o senador Osmar Dias já se dispôs a encaminhar a proposta para que seja apresentada na reunião do diretório estadual.

    No ano passado, o PT estabeleceu o encontro como prazo para definir os rumos do partido na sucessão estadual, que podem ser dois: a aliança de apoio à pré-candidatura do senador pedetista ou o lançamento de candidatura própria.

    “Nós conversamos no sábado passado, em Paranavaí, e ele disse que irá mandar a proposta”, disse Verri, citando o horário, meio-dia, e o local, a Sociedade Rural do Noroeste do Paraná, em que conversou com o pré-candidato do PDT.

    “Dou os detalhes porque parece que há um descompasso nas informações”, citou o dirigente petista, referindo-se às reticências do próprio senador sobre o futuro das negociações entre petistas e pedetistas.

    A iniciativa de oficializar a proposta de aliança deve ser do senador, afirmou Verri. “Cabe ao candidato ao governo articular as forças políticas. É ele que irá arregimentar os aliados”, justificou.

    Ontem, Osmar, e o presidente estadual do PDT, deputado Augustinho Zucchi, reuniram-se com o presidente nacional do partido, Carlos Lupi, que apesar de ser ministro do Trabalho se mantém no comando do diretório nacional, para discutir os encaminhamentos do possível acordo com o PT no Paraná.

    O PDT tem algumas condições para se aliar ao PT. A primeira delas é agrupar outros partidos da coalizão do governo do presidente Lula (PT), como o PP e PMDB.

    A outra é que a ex-presidente estadual do PT Gleisi Hoffmann ocupe a vaga de candidata a vice-governador. Mas antes de começar a discutir a ampliação do leque de alianças ou a composição da chapa, é preciso fechar o acordo, disse Verri.

    “Primeiro, decidimos se fazemos aliança ou não. Depois, vamos conversar sobre os desdobramentos”, afirmou.

    Entre os aliados desejados por Osmar, o mais distante é o PMDB, neste momento, reconhece Verri. “O PMDB tem um pré-candidato ao governo. É o Pessuti.

    Se por acaso, o Pessuti não sair, é mais do que natural que ocupe a vaga de vice na aliança. O PT abre mão de indicar o candidato a vice-governador com a perspectiva de construir um leque maior de aliados”, disse Verri.

    Se o PDT não se manifestar sobre a aliança, o PT vai continuar discutindo a composição com os outros partidos da base, acrescentou.

    Publicado por jagostinho @ 10:33



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

2 Respostas

WP_Cloudy
  • fagundes Disse:

    quem diria o PT pedindo esmola!!!

  • tarcisio Disse:

    Os petistas querem dar uma de espertinhos. O Osmar não cai nessa. TEm que ser Gleisi de vice. Ou ganham juntos ou morrem afundando juntos.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.