Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 10abr

    AFP

    Varsóvia-homenagens em frente ao Palácio Presidencial

    O presidente da Polônia, Lech Kaczynski, morreu neste sábado quando o avião em que viajava com 95 pessoas, um Tupolev-154, entre elas sua esposa e os principais comandantes das Forças Armadas, caiu sem deixar sobreviventes perto de Smolensk (oeste da Rússia).

    Lech Kaczynski, um jurista conservador e católico fervoroso, de 60 anos, havia sido eleito presidente da Polônia em 2005.

    Entre as vítimas estão, também, o presidente do Banco Central polonês, Slawomir Skrzypek, o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, Franciszek Gagor, assim como os principais comandantes do Exército polonês.

    “O avião teria se chocado com árvores, incendiando em seguida”, declarou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores polonês, Piotr Paszkowski, ao canal TVN24.

    Todos se dirigiam a Katyn, perto de Smolensk, para assistir a um ato em homenagem a oficiais poloneses executados há 70 anos pela polícia de Stalin.

    O massacre de Katyn ainda pesava sobre a relação entre Moscou e Varsóvia, tensa desde a decisão da Polônia de entrar na Otan, em 1999, e na União Europeia, em 2004.

    Na quarta-feira, pela primeira vez, o primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, visitou Katyn, para prestar homenagem aos oficiais poloneses mortos, um gesto longamente aguardado por Varsóvia.


    No total, 22 mil oficiais poloneses – capturados após a invasão do leste da Polônia pelo Exército Vermelho, em virtude do pacto entre Berlim e Moscou – foram executados pela NKVD (ancestral da KGB) entre abril e maio de 1940.

    Embora as execuções tenham ocorrido em diferentes lugares, Katyn se tornou o símbolo do massacre por ser o local onde foram encontradas as fossas comuns, em 1943.

    O avião em que viajava o presidente da Polônia caiu às 10H50 locais (06H50 GMT) perto de uma pista de pouso situada na periferia da cidade de Pechersk, a alguns quilômetros de Smolensk.

    O acidente ocorreu “em condições de névoa espessa”, precisou o ministério russo das Relações Exteriores em comunicado.

    Suspeita-se de que tenha sido causado por um erro do piloto, informou a agência RIA Novosti, citando fonte das forças de segurança russas.

    Segundo a agência Interfax, as autoridades russas propuseram à tripulação polonesa o pouso em Minsk ou em Moscou, devido à névoa, mas o piloto preferiu fazê-lo perto de Smolensk.

    O acidente ocorreu quando o piloto tentava a aterrissagem pela quarta vez, segundo a Interfax.

    Publicado por jagostinho @ 12:36



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

2 Respostas

WP_Cloudy
  • ademar Disse:

    ACHO QUE ESSE PILOTO ERA UM HOMEM BOMBA. ELE DERRUBOU O AVIÃO POR PURA TEIMOSIA. SERÁ QUE TINHA BEBIDO MUITA VODKA?

  • ladislau Disse:

    qdo o povo polones tinha escolhido um homem decente e fervoroso católico perde seu presidente de forma tão trágica. Tem que investigar mesmo.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.