Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 19abr

    Editoria –

    A análise do jornalista Hélio Fernandes (transcrita abaixo) e a postura da seção paranaense do Partido dos Trabalhadores de costurar acordos inclusive com tucanos, tendo como prioridade a eleição de Gleisi Hoffmann (mulher do ministro Paulo Bernardo, do Planejamento) para o Senado, não deixam dúvidas de que os tripulantes do Aerolula cruzam os céus visando o aumento de representação no Congresso, relegando para segundo plano a articulação da campanha de Dilma Rousseff à Presidência.

    Não é difícil perceber como a tática petista contempla o boicote à presença do deputado Ciro Gomes no pleito presidencial, porque isto poderá favorecer o Partido Socialista Brasileiro (PSB) na obtenção de cadeiras no Parlamento cacifando a legenda para as eleições de 2014.

    A bifurcação das eleições presidenciais pretendida pelo Palácio do Planalto não é benéfica à democracia, embora possam projetar novos planos de vôo para o chamado PTL (Partido dos Trabalhadores de Lula), a dificuldade de entendimentos nos estados é maior prova disso.

    HÉLIO FERNANDES – TRUBUNA DA IMPRENSA

    Lula perplexo sem o terceiro mandato, mas satisfeitíssimo, pensando em 2014, com Dilma ou Serra

    O presidente Lula começou a admitir o terceiro mandato quando exercia o segundo. O único cidadão do mundo que perdeu três vezes e conseguiu vencer a quarta, assumiu timidamente, foi deixando de fazer o que era obrigatório, principalmente recuperar o patrimônio fabuloso que FHC DOOU A BANQUEIROS, SEGURADORAS, GLOBALIZADOS DE VÁRIOS PAÍSES.

    É que Lula estava no Poder a partir de 2003, era o inacreditável primeiro mandato, ainda nem acreditava no segundo.

    Vitorioso na quinta eleição, empossado e já popularizado em 2007, aí realmente despontou para a glória geral e pessoal.

    Começou a trabalhar não apenas o terceiro mandato, mas “a salvação do país pela eternidade do Poder”.

    (Foi a época em que, voltando do Gabão, mostrou todo o deslumbramento e as “convicções” em relação ao Poder, ao afirmar publicamente sobre o ditador desse país: “Ele está há 37 anos no Poder”.

    Era o primeiro grito de Lula, “quero o terceiro mandato”). Começou a dizimar e destruir seus próprios quadros do PT, não admitiu ninguém que pudesse resistir a ordens suas, ou que fosse capaz de crescer acima e além da sua própria imagem.

    Como os “companheiros” não eram muito brilhantes, custaram a perceber os objetivos de Lula.

    (Custaram a perceber ou não chegaram a perceber?) Lula foi “caminhando sobre as águas”, em determinado momento acreditou mesmo que conseguiria.

    A base, claustrófoba, comprometida e praticamente indiciada, concordava com tudo. A oposição não se opunha, metade por incompetência, a outra metade por subserviência.

    Quando Lula começou a chamar parceiros para conversar (Quércia, Geddel, Jader, e outros iguais), ficaram deslumbrados, começaram a monologar:

    “Os próximos podem ser do PSDB”. E ficaram paralisados, enquanto Lula avançava. Só que a estrada do Poder é suculenta e altaneira na imaginação, mas cheia de obstáculos na realidade.

    E esses foram chegando, atravancando o trajeto e ameaçando o projeto, fazendo ou obrigando o presidente a refazer o percurso.

    Mudou várias vezes, mas não abandonou o delírio. Chegou a admitir o “referendo”, o “plebiscito”, baseado nos “80 por cento das pesquisas imaginárias”, a aprovação da “emenda constitucional”, até chegar à PRORROGAÇÃO DE TODOS OS MANDATOS, do Executivo, Legislativo e Judiciário.

    Foi se perdendo por todas as estradas, só enfrentou e encarou a realidade agora, não há mais salvação.

    *** PS – Surpreendentemente, Lula perdeu as chances, mas não perdeu o humor. Para seu futuro, tanto faz que o sucessor seja Serra ou Dilma, não precisa de nenhum dos dois;

    PS2 – Os analistas, geralmente primários e inconseqüentes, espalham que “Lula joga tudo na vitória de Dilma”. Ha!Ha!Ha! Lula receberá a vitória apenas pelo prazer de ganhar. Mas em termos de futuro, ou seja, 2014, apostaria muito mais em Serra no Planalto-Alvorada do que em Dona Dilma;

    PS3 – Lula não irá derramar uma lágrima, se o vencedor de 3 de outubro for José Serra. Dará até boas gargalhadas se tiver que passar o cargo para o paulista em 1º de janeiro de 2011.

    Publicado por jagostinho @ 16:30



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Uma resposta

WP_Cloudy

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.