Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 08jun

    ITAIPU BINACIONAL/MEIO AMBIENTE

    O Refúgio Biológico Bela Vista, da Itaipu, em Foz do Iguaçu, ganhou novos

    Harpia

    habitantes na última semana: são dois filhotes de harpia, nascidos em 23 e 29 de maio.

    As harpias (nome científico Harpia harpyja) são aves muito raras, e tem havido um esforço por parte de diferentes instituições para ampliar sua população. Cada filhote que nasce é uma nova chance de sobrevivência para a espécie.

    Com a chegada dos filhotes, o Refúgio conta agora com seis harpias: duas aves adultas, dois dos filhotes que nasceram no ano passado – um macho e uma fêmea – e os recém-chegados.

    É o maior plantel da região Sul e um dos maiores do País. “Aos poucos, vamos aperfeiçoando os cuidados com os animais.

    Usamos um protocolo criado por uma bióloga panamenha, mas fazemos as adaptações que percebemos necessárias, pois cada ave tem um caráter próprio. A chance de sobrevivência deles é cada vez maior, pois já aprendemos com muitos erros e acertos”, conta o biólogo Marcos de Oliveira.

    Os dois filhotes dividem uma incubadora que mantém a temperatura constante em 36,6°C.

    Cinco vezes ao dia, o biólogo Marcos José Oliveira os alimenta, sempre tomando o cuidado de ficar em total silêncio e ligar um aparelho de MP3 com sons gravados na natureza de piados de filhotes e vozes de adultos de harpia.

    “Isso é importante para que os filhotes não relacionem a alimentação aos sons e imagens humanos”, explica Marcos.

    Nos primeiros quinze dias a visão dos bebês ainda não está desenvolvida, então apenas o silêncio é suficiente. Marcos usa longas pinças para dar pedacinhos de carne aos filhotes. Nada de alpiste!

    As harpias são aves rapinantes carnívoras, muito fortes, que se alimentam de animais de pequeno e médio porte.

    A partir da terceira semana, a alimentação continua a mesma, mas o biólogo fica atrás de uma cortina, para não ser visto.

    O objetivo é que os animais percebam o menos possível a presença dos tratadores.

    Publicado por jagostinho @ 13:37



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

2 Respostas

WP_Cloudy

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.