Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 28jul

    BLOG DO CHARLES BAKALARCZYK

    A política brasileira tem seus momentos de comédia pastelão.

    No episódio da aprovação do projeto Ficha Limpa, o PPS saiu garganteado pelo Brasil afora sua plena identificação com a nova legislação restritiva à elegibilidade.

    Inclusive, os dirigentes ex-comunistas e cristãos-novos do neoliberalismo diziam que no PPS candidato ficha suja não teria fez, sequer obteria homologação da candidatura pelo partido. Até resolusão interna foi aprovada.

    Na época, secretário-geral do PPS, Rubens Bueno, fez a seguinte bravata: “Enquanto o governo Lula e sua base no Congresso Nacional manobram para sepultar o projeto de iniciativa popular, o PPS avança e começa a adotar o ficha limpa no próximo pleito”.

    No documento apresentado à convenção do PPS, que tratou de eleições 2010, constou o seguinte:

    “Não poderão ser candidatos a qualquer cargo eletivo os filiados ao Partido Popular Socialista que tenham contra si condenação na segunda instância de qualquer órgão colegiado do Poder Judiciário”.

    Mas parece que o tal filtro interno do PPS não funcionou, era pura lorota. O primeiro candidato barrado pela Ficha Limpa pertence aos quadros do PPS.

    Com efeito, a negativa inaugural de registro de candidatura para as eleições 2010 (deputado estadual, Minas Gerais) foi a do ex-prefeito de Montes Claros, Athos Avelino Pereira, filiado do PPS. A decisão foi do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Minas Gerais, por cinco votos a zero, em sessão do dia 26 último.

    Pereira é ficha suja porque foi condenado em 2008 por abuso de poder política e uso indevido dos meios de comunicação, quando tentou a reeleição para prefeito em Montes Claros (MG). O registro de candidatura também foi negado porque o candidato do PPS não apresentou certidões criminais e cíveis, entre outros documentos.

    Obviamente a decisão não é definitiva, cabe recurso. Mesmo assim, fica evidente a trapalhada do PPS, que estava vendendo gato por lebre aos eleitores mineiros.

    Voto Limpo - uma teoria e outra prática!

    Publicado por jagostinho @ 00:32



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Uma resposta

WP_Cloudy

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.