Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 29jul

    Como teremos, daqui pra frente, uma pesquisa seguida da outra, é bom esclarecer àqueles que não são afeitos a este assunto, alguns detalhes básicos, para se perceber se há distorções ou não nelas.

    Até porque se compreende que do eleitor, na sua maioria, não se pode exigir que tenha tanto discernimento quanto ao assunto.

    Mas o que tem de pseudo-comentaristas políticos, do alto de sua ignorância, escrevendo verdadeiras heresias, absurdas e tendenciosas, para confundir os eleitores, é uma grandeza !

    Repito aqui, uma máxima que sempre é bom relembrar: “os números nunca mentem; os mal intencionados mentem com eles.”

    Agora, direto no assunto em foco: pesquisas eleitorais no Paraná.

    O básico do básico é ter os números corretos do total de eleitores.

    Vamos a alguns deles, muito utilizados pelos institutos, ao dividir o Paraná, quase sempre, em três ou quatro regiões:

    Curitiba, Região Metropolitana e/ou Litoral e Interior.

    De acordo com o TSE – Julho/2010 – o Paraná tem 7.641.553 eleitores.

    Estes, pelas regiões acima enumeradas, estão assim distribuídos:

    -Curitiba : 1.309.961 eleitores > 17.14%

    Região Metropolitana: 923.103 eleitores > 12.08 %

    -Litoral: 212.498 > 2.78 %

    -Interior: 5.191.991 > 67.99 %

    Com esses dados, todos eles disponíveis no TSE, o pesquisador monta o cenário que quiser.

    Ou seja, pode dividir a pesquisa por região, por municípios/grandes – médios – pequenos/, por bairro, por distrito, etc.

    Existem, ainda, as subdivisões, por sexo, idade, escolaridade, renda …

    Quanto ao tamanho da pesquisa, depende do contratante.

    Sempre, o total de entrevistas tem que ser proporcional ao número de eleitores da área pesquisada.

    O resto é balela. Peso de voto, ponderação, números absolutos e otras cositas más, são conversa para boi dormir. E, é claro, para serem usados como desculpa, quando as urnas comprovam o contrário das pesquisas.

    E agora, é chique falar de pesquisa em locais de fluxo, em aglomerações, por telefone, fixo ou celular, e nem sei mais o que vem por aí.

    Para mim, pesquisa que se preze, tem que ser feita pessoalmente e no domicílio do pesquisado.

    Pois, assim, qualquer revisão pode ser feita a qualquer hora, mediante solicitação à justiça eleitoral, por quem se julgar prejudicado.

    E agora, com equipamento portáteis, sem uso de questionários de papel, o controle é muito mais complicado.

    A materialidade da pesquisa evapora-se, num piscar de olhos.

    Portanto, fiquemos de olhos bem abertos e não nos deixemos induzir por números que podem ser, facilmente, distorcidos.

    Concluindo, na minha opinião, pesquisas públicas deviam ser proibidas no Brasil.

    Apenas, os partidos e candidatos poderiam encomendá-las para uso interno.

    Ou então, acabem-se as eleições e escolhamos nossos representantes por pesquisas.

    Que tal ? ? ?






    Publicado por jagostinho @ 14:02



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

16 Respostas

WP_Cloudy
  • Ricardo Leite Ribeiro Disse:

    Falou bem.

  • ELIZEU Disse:

    Parabéns Jota pela coerência, qualidade tão rara hoje nos nossos analistas políticos!

  • Marcelo Tradzoki Disse:

    Jota,

    Tem até uma teoria que pode embasar suas palavras chama-se: Navalha de Ockham.

    Resumindo:
    “entia non sunt multiplicanda praeter necessitatem” (as entidades não devem ser multiplicadas além da necessidade).

    Ou ainda:
    “Se em tudo o mais forem idênticas as várias explicações de um fenómeno, a mais simples é a melhor”

    Quem tiver mais interesse: http://pt.wikipedia.org/wiki/Navalha_de_Occam

  • Outro aluno do Barsotti Disse:

    perfeito…. pesquisa quanto mais simples melhor…. sou de Cascavel e aqui só vai dar Osmar…. cansamos de pagar pedágio… daqui pra Ctba são mais ou menos 110 reais ida e volta…. e nada de duplicação ou terceira pista.. é pagar pra andar quilômetros atrás destes caminhões bitrem que lotam estas estradas….

  • Outro aluno do Barsotti Disse:

    desculpe… fugi do assunto…. mas não tem como não ficar indignado com isto…

  • Tweets that mention Jota Agostinho » Arquivo do Blog » SEM QUERER ENSINAR… -- Topsy.com Disse:

    […] This post was mentioned on Twitter by ELIZEU_ARAUJO, Jota Agostinho, Jota Agostinho, Jota Agostinho, Jota Agostinho and others. Jota Agostinho said: @cesarfilho23 @adrianoamartins SEM QUERER ENSINAR… – http://bit.ly/ddfVZs SEM QUERER ENSINAR… – http://bit.ly/ddfVZs […]

  • jagostinho Disse:

    Carlos

    Também fui aluno do extraordinário mestre Barsotti.

    Seus comentários sempre valorizarão meu Blog.

    Saude e paz.

    Jota Agostinho

  • jagostinho Disse:

    Marcelo.

    Vc não sabe como me emocionei quando li sua citação em Latim. Vieram tantas boas lembranças do seminário onde estudei 5 anos de latim. Grandes amigos e notáveis mestres tive por lá. Faz um tempão, mas recordo com carinho.

    Apareça sempre.
    Saúde e paz.

    Jota Agostinho

  • Alex Disse:

    Mais uma vez parabéns pela análise. Objetiva e clara. Concordo plenamente com as proibições das pesquisas. Induzem os desinformados ao erro.

  • Samuel Gomes Disse:

    Jota
    A mim nunca encantou o jogo da manipulação das pesquisas. Você não está sozinho. Não faria mal algum ao país a pura e simples proibição da divulgação das pesquisas eleitorais. Que sejam realizadas, para os mais diversos fins, especialmente para orientar as estratégias de campanha. Mas não devem ser divulgadas.

    Abraço.

    Samuel

  • najugular Disse:

    Jota, parabéns pela paciência a apuro técnico em abordar o assunto. Nem sempre concordo com você, mas a divergência [respeitosa] é essencial para assegurar massa crítica, sem o que seremos o que diz o jornalista norte-americano Walter Lippmann: “Onde todos pensam igual, ninguém pensa muito.” Benjamin Disraeli, estadista inglês, afirmava que havia três espécies de mentiras: MENTIRAS, MENTIRAS DESLAVADAS e ESTATÍSTICAS. Ele viveu no século XIX, a metodologia das pesquisas não era tão “sofisticada”. Mas, já naquela época, o pessoal se preocupava com a credibilidade das pesquisas.
    Um abraço.

  • Eliza Disse:

    Também quero parabenizá-lo. Alguem tem que começar a denunciar estas pesquisas e fazer uma campanha BASTA PESQUISA. Uma vergonha. E o povo vai ficando cada vez mais confuso enquanto muito dono de instituto está rico. Vc é corajoso Jota, mas não está sozinho.

  • Nascomento Disse:

    Como sempre brilhante Jota. Pena que não esteja na ativa no rádio e televisão, onde só tem os ditos comentaristas políticos que só falam asneiras e o óbvio. Por interesse ou por desconhecimento mesmo. Ainda bem que posso me orientar pelo seu blog. Segue em frente.

  • Perture Disse:

    Nada de Fica Beto. A campanha tem que ser VOLTA JOTA. A imprensa precisa de vc. Não dá mais para aguentar os caras. Coisa ridicula.

  • DIONISIO o pequeno Disse:

    Interessante a informação do NAJUGULAR aqui no seu Blog. Já no século 19 um cara criticava as pesquisas. Este Benjamim Desraeli era o Jota Agostinho daquele tempo!!!! Muita maracutaia nas pesquisas. Vamos dar um basta nisso.

  • Marcela Disse:

    é como vc falou Jota. Não vamos gastar tanto tempo e dinheiro do povo e não tenhamos mais eleiçoes. Faz pesquisa e pronto. Pois de um jeito ou de outro o povo só se explode!!!

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.