Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 01fev

    Votos de Welter valeram para o Romanelli, mas para ele não?

    Hoje acontece a posse dos deputados eleitos para esta legislatura.

    Além da confusa eleição da mesa diretora que acontecerá depois de empossados os deputados, surgiu, ontem, um fato novo.

    O PMDB conseguiu uma liminar que garante para o partido a vaga de Romanelli, que tucanou e é um peemedebista de bico amarelo/azul.

    Pela coligação, teria direito à vaga Elton Welter, do PT, que fez 41,9 mil votos. Pelo partido, o primeiro suplente seria Martin, que fez 40,5 mil votos na última eleição.

    A liminar a favor do PMDB foi concedida pelo desembargador José Aniceto.

    “A nomeação do 1º suplente da coligação, pertencente ao PT, in casu, implicaria em evidente prejuízo do partido PMDB, eis que o partido ficará com a sua representatividade diminuída na Assembléia, ferindo o direito de manter o número de cadeiras obtidas nas eleições proporcionais”, diz o despacho.

    O PT vai recorrer, é claro. Só fica uma incômoda pergunta:- para que serve uma coligação? É de mentirinha e para trouxas acreditarem ?

    Se não vale para depois das eleições, o povo foi enganado. E pior. Foi desrespeitado, pois com seus votos os eleitores colocaram cada deputado, de cada partido ou de cada coligação, na devida ordem.

    E, numa canetada, tudo muda? Acho que a verdade das urnas terá que ser restabelecida.

    Se a vontade do eleitor não é obedecida fielmente pelos julgadores, a eleição é nula de pleno direito.

    O resto são firulas jurídicas e, principalmente, chorumelas, para os advogados fartarem-se.

    Enfim, na minha opinião, modesta mas lógica, a vaga é do primeiro suplente da coligação, Elton Welter do PT.

    Afinal, Romanelli não se elegeu só com os votos do PMDB e sim com os votos de todos os candidatos dos partidos da coligação.

    Tudo muito óbvio. Errou o PMDB ao pleitear a vaga e equivocado está o magistrado.

    Até porque se valer esta interpretação, em outros casos idênticos, vai ter que mudar muita coisa. Inclusive na própria Assembleia.

    Isto sem falar da bancada paranaense na Câmara Federal, que teria que ser modificada, em termos de nomes.

    Mas, infelizmente, os políticos adoram isto. Pois, assim as atenções mudam de foco.

    Pobre Brasil.

    Publicado por jagostinho @ 08:13



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

2 Respostas

WP_Cloudy
  • Antunes Disse:

    Acho que o PT reverte esta situação.

  • Sandro Disse:

    Perfeito seu raciocínio, porém, notícia que vi ainda hoje, a posição do STF infelizmente não é essa, entendo que a vaga pertence ao partido e não à coligação. De fato, a vaga conquistada por um dos partidos da coligação, assim o foi apenas devido aos votos de toda a coligação e deveria valer também para a classificação dos suplentes. Ora, se assim não for, como você bem colocou, como fica a representatividade de tais parlamentares, uma vez que todos são eleitos pelo critério da proporcionalidade e depois, na seleção dos suplentes tal proporcionalidade e simplesmente desrespeitada. Está erradíssimo o STF também nesta questão. O triste é ver que um raciocínio completamente equivocado como esse pode prevalecer na mais alta Corte do país, onde imaginamos que estão, ao menos em tese, nossos melhores julgadores.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.