Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 19fev

    Folha de Londrina

     (Olga Leiria )

    Se existe um fator com extrema importância na vida útil do pneu é a calibragem. O ar comprimido dentro da câmera é como ”a unha para carne”.

    Um não vive sem o outro. Existem ainda fatores que passam despercebidos pelos motoristas como suspensão, alinhamento, balanceamento e cambagem que influenciam diretamente no estado de conservação do ”calçado” dos carros.

    Segundo o empresário do ramo Marco Antônio Mendes, quando a calibragem está muito alta ocorre um desgaste desproporcional nos flancos internos do pneu.

    No caso de estar abaixo, o peso se desloca para as laterais e pode acarretar acidentes.

    ”O pneu pode dobrar ou até sair da roda se estiver murcho na hora de fazer uma curva acentuada. Ainda mais se for em alta velocidade. É um componente que precisa estar em dia na hora de fazer uma viagem”, argumenta.

    Na opinião do empresário Eduardo Tomasetti, que é dono do Aluvião Auto Center, a calibragem dos pneus é a alma do conforto do carro.

    ”Está tudo relacionado. A cada dez dias é importante passar no posto e calibrar. Infelizmente o brasileiro não liga. Ele é muito acomodado nessas coisas”, completa.

    Tomasetti diz ainda que andar com pneu murcho aumenta o consumo de combustível.

    De acordo com seus cálculos, uma calibragem entre 6 e 10 libras está abaixo do padrão.

    ”Existe uma tabela que aponta para um aumento de 17,8% o gasto de combustível quando a calibragem não está de acordo”, exemplifica.

    Ele cita dois detalhes curiosos que podem facilitar na manutenção: calibrar com os pneus frios e utilizar nitrogênio ao invés do usual ar comprimido.

    ”A durabilidade do nitrogênio é até sete vezes maior que a do ar comprimido. Ele não se expande e cria um atrito uniforme. Já o ar comprimido esquenta e deixa o pneu mais mole”, esclarece.

    A calibragem com os pneus frios garante mais precisão na hora se saber quantidade de libras que tem dentro da câmara de ar.

    ”Por isso é melhor passar no posto pela manhã. Nessa hora o pneu está frio e ajuda numa calibragem mais precisa. Quando o pneu está quente a calibragem pode variar”, ensina.

    Mendes observa que um pneu com manutenção frequente pode significar até 20% a mais de durabilidade.

    ”A falta de cuidado pode aumentar em muito o desgaste. Já vi casos de pneus que poderiam durar até 50 mil quilômetros não passar dos 10 mil por falta de cuidado”, conclui.

    Rodízio

    Outra artimanha para aumentar a vida útil do pneu é o rodízio. Há quem troque os pneus da roda da frente pelos da parte de trás ou mesmo em forma de ”x”, invertendo os lados.

    Cada motorista tem uma fórmula, mas especialistas do ramo aconselham a não trocar as rodas de lado.

    Tomasetti acredita que fazer o rodízio a cada 5 mil quilômetros ajuda a evitar o desgaste dos arames que dão sustentação à estrutura dos pneus.

    ”Na situação que estão as ruas de Londrina não é bom inverter na forma de X porque o desgaste em cada lado é desproporcional

    . Mas de maneira geral, o rodízio é importante para evitar um desgaste maior dos pneus traseiros em função da tração”, finaliza.

    Publicado por jagostinho @ 18:53



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.