Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 26fev

    Site do Senador Roberto Requião

    É possível fazer uma reforma tributária voltada para a simplificação e a justiça, a neutralidade e o equilíbrio das contas sem a necessidade de qualquer alteração na Constituição Federal.

    A afirmação foi feita nesta sexta-feira (25) pelo senador Roberto Requião (PMDB-PR).

    Em pronunciamento da tribuna, ele afirmou que uma simples lei ordinária pode corrigir problemas existentes em vários tributos, sem a necessidade de que sejam extintos, como muitos defendem.

    – O que se quer acentuar, no particular, é que, para tornar o nosso conjunto de impostos racional e moderno, não é preciso mudar uma vírgula da Constituição de 1988, até porque, com 22 anos de idade, ela nunca chegou a ser aplicada – afirmou o senador pelo Paraná.

    Requião explicou que princípios geralmente aceitos de tributação – simplicidade, justiça e neutralidade econômica – recomendam a extinção de vários tributos, como os impostos sobre Operações Financeiras (IOF) e sobre Produtos Industrializados (IPI), bem como as contribuições ao Programa de Integração Social (PIS) e ao Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP), ao financiamento da Seguridade Social (Cofins) e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

    No entanto, para ele, a solução é outra. No caso do IPI, Requião não propõe a sua erradicação, mas sugere limitá-lo até mesmo por decreto do Executivo, com o objetivo de reduzir “sua extrema abrangência e complexidade”.

    Já a incidência de contribuições sobre a folha de salários e faturamento poderia ser reduzida, segundo ele, por lei ordinária do Legislativo.

    Com o Imposto de Renda, as alterações, na opinião do senador, devem ser radicais, para permitir, por exemplo, o fim da imposição exclusiva na fonte e ainda aumentar o universo dos contribuintes físicos, com o objetivo, entre outros, de não só alcançar a riqueza individual, mas também tornar esse imposto mais adequado à capacidade econômica das pessoas.

    – Todo esse cabedal de iniciativas a Constituição não obstaculiza, antes, a requer, a ordena – assinalou Requião, que ainda apresentou soluções para resolver problemas com vários outros impostos sem que seja necessário alterar a Constituição.

    Ao encerrar seu pronunciamento, o senador observou que a presidente da República Dilma Rousseff quer desonerar a folha de pagamentos e dar mais velocidade e agilidade à economia, mas que é preciso que o Senado colabore para isso, começando a discutir e a se informar sobre o assunto.

    – De repente, nos chegará aqui a proposta de um desses desalmados do Banco Central, feita depois de um curso no Federal Reserve Bank de Nova Iorque, pensando só nos benefícios do capital e não tendo a menor preocupação com o verdadeiro desenvolvimento, que tem de levar em conta a nação, os interesses do povo, das pessoas e da sociedade – concluiu o parlamentar.

    Publicado por jagostinho @ 14:38



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

2 Respostas

WP_Cloudy
  • Ultra Disse:

    O Requião é um estranho no ninho. É muita inteligência para tanta mediocridade no Senado. Uma pena. Mas continue combativo Requião. O Paraná está com vc. Não faça como a Gleisi que só sabe puxar o saco da Dilma. Patética ela !

  • Ivone Disse:

    Votei no Requião e no Fruet. Pena que Fruet não entrou. A Barbie só se elegeu com muita grana da campanha. Donde veio essa grana eu não sei.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.