Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 12abr

    Liderança do PMDB/Assessoria de Imprensa/Ronildo Pimentel

    Foto: Arquivo Pessoal

    O líder do Governo, deputado Ademar Traiano (PSDB), tem atuado na criação de um ambiente de conflito na Assembleia Legislativa do Paraná.

    A afirmação é do líder do PMDB, deputado Caíto Quintana, ao falar sobre os 100 primeiros dias da atual administração estadual e a verborragia protagonizada por Traiano na Tribuna da Casa de leis.

    “Não entendo qual é a razão de Vossa Excelência (Traiano), que tenta a cada instante de seus pronunciamentos, falar mal do governo anterior. Primeiro, o povo elegeu o atual governador, para resolver e já se passaram 100 dias”, informou Caíto.

    “Segundo, nas casas populares (anunciadas nesta segunda-feira, 11), R$ 600 milhões são do Governo Federal e R$ 100 milhões são da Copel e Sanepar”, destacou o líder do PMDB.

    “A Sanepar que estava privatizada e a Copel, que Vossa Excelência inclusive votou para ser vendida, para a iniciativa privada”, relembrou Caíto.

    Traiano, na época da tentativa da privatização da Copel, em 2001, era da bancada de sustentação do Governo Jaime Lerner e votou a favor do processo, interrompido graças a um projeto de iniciativa popular e manifestações da população.

    Caíto foi um dos líderes do levante popular, que culminou após a ocupação da Casa de Leis.

    No período, a Sanepar teve a maioria de suas ações vendidas a um grupo francês, que passou a deter o controle acionário da companhia.

    “Quero torcer pelo governo (Beto Richa). O senhor veja o posicionamento da nossa bancada, que não tem nenhuma crítica. Mas Vossa Excelência, a cada vez que vai à Tribuna, força ao PMDB a passar a combater”.

    “Porque vamos daqui a pouco ser compelidos a fazer pronunciamentos mais fortes por causa da provocação que sistematicamente acontece”, concluiu Caíto.

    Ao retomar a palavra, Traiano afirmou que não tem o hábito de fugir da raia. “Votei sim (pela venda da Copel), assumo, pago o preço, estou aqui deputado de novo e se hoje tivesse que agir diante daquele momento, talvez agisse da mesma forma”, concluiu.

    Publicado por jagostinho @ 15:55



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.