Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 29abr

    Site do Senador Roberto Requião

    O senador Roberto Requião leu no Plenário, nesta quinta-feira, 28, texto do engenheiro ferroviário Paulo Ferraz que demonstra gravíssimas distorções no orçamento para a construção do trem de alta velocidade entre São Paulo e Rio de Janeiro, na modalidade de Parceria Pública Privada –PPP.

    No texto, o engenheiro faz ainda referência ao projeto da variante ferroviária Ipiranga-Guarapuava, que também seria construída por PPP, e cujo sobre preço o senador Requião denunciou, quando era governador do Paraná.

    Antes de ler o texto de Ferraz, Requião disse que, como parlamentar da base de apoio ao Governo e por lealdade à presidenta Dilma, não poderia de deixar de apontar desvios em obras, como a do trem-bala.

    “Bato de novo na tecla desta mágica, deste prodígio que faz obras triplicar de preço quando são feitas por PPPs”.

    No início do mês, o senador paranaense votou contra a Medida Provisória que autorizava o BNDES a financiar a obra.

    O texto de Paulo Ferraz, intitulado “Está sobrando bala no trem Rio/São Paulo” é o seguinte:

    “TÁ SOBRANDO BALA NO TREM RIO/SÃOPAULO”

    O orçamento inicial do projeto do trem bala era de 18 bilhões, valor consolidado depois de décadas de estudos.

    Mais uma vez com o argumento de que o país não tem dinheiro para infraestrutura tiraram da cartola a mágica idéia das PPPs- Parceria Público Privada.

    A fórmula dessas PPPs é 70 % BNDES, 10 % Fundos de Pensão de Empresas Públicas/Funcionalismo Federal e os 20 % restantes cota da iniciativa privada.

    A partir daí começa a disparar o preço estimado da obra.

    Se fala agora em 33 bilhões de reais ( mas existe no ar a alerta de que pode chegar a 50 bilhões ).

    Na modalidade de PPP teriamos 26,4 bilhões de dinheiro público ( podendo chegar a 40 bi ).

    Só com essa verba pública poderiamos fazer a obra ainda com um folga para gastar numa inesquecível festa de inauguração!

    E os 20 % do investimento privado seriam dispensaveis mas eles receberiam de presente a obra para operar!

    Essa fórmula suspeita já vimos ser tentada no projeto da Variante Ferroviaria Guarapuava-Ipiranga.

    Não sou contra a construção do Trem de passageiros Rio São Paulo, muito pelo contrário sou um antigo defensor.

    Mas o preço estimado é exorbitante!

    Dá pra implantar o projeto do TAV Rio/SP e dentro desse orçamento de 50 bilhões de reais ainda construir uns 10.000 km de novos ramais de linhas férreas em áreas estratégicas para o país e para o Mercosul.

    Eng. Paulo Ferraz

     

    Publicado por jagostinho @ 09:27



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Uma resposta

WP_Cloudy
  • Paulo Disse:

    Estudo IEP- Instituto de Engenharia do Paraná ( matéria em anexo ) diz que TAV Curitiba/São Paulo custaria 6 bilhões ( noticia nov2008 ) para uma distancia de 360 km ou seja R$ 16,67 milhões por km de linhas.

    Adotando esse valor como referencia para os 518 km do TAV Rio/São Paulo teríamos então o custo total de R$ 8,64 bilhões para implantação dessa linha.

    Esse valor seria apenas 25 % do total de R$ 33 bilhões que vem sendo anunciados ou 17 % dos R$ 50 bi que o Economista e Consultor do Senado Marcos José Mendes em entrevista ao Jornal do Brasil de 2/4/2011 alerta que pode chegar os custos do projeto. Nesse montante o Governo poderia aportar até R$ 35 bi ( 70 % ) como informa o Consultor.

    No nosso país irmão Portugal foi anunciado o projeto do TAV Lisboa/Poceirão este ponto na divisa com a Espanha com 167 km ao custo de 1,6 bilhão de euros ou seja em torno de R$ 22.000,00/km cuja obra era em 2010 cobiçada pela Odebrecht através de PPP.

    Para uma melhor discussão desse investimento no TAV Rio/São Paulo o Governo Federal deveria abrir a caixa preta para detalhar com clareza quanto custará a implantação dos trilhos, o material rodante, os sistemas de sinalização/comunicação e outros itens necessários.

    E qual seria a participação do BNDES, de Estatais e dos Fundos de Previdencia de Empregados Públicos na composição final do custo do Projeto ?

    É necessário muita transparencia nesse momento antes que seja publicado o Edital!

    Eng. Paulo Ferraz

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.