Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 15jun

    IDG NOW

    Estudo conduzido pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA, na sigla em inglês) chegou a uma constatação que todos os passageiros conhecem, mas, nem por isso, respeitam: usar dispositivos eletrônicos como smartphones e tablets durante o voo pode causar acidentes – às vezes, fatais.

    A pesquisa – ainda não divulgada ao público – descobriu que graças a um único BlackBerry ou iPad o sistema do avião pode ser desligado, e o piloto automático, desativado. Além disso, os gadgets podem ser extremamente prejudiciais em caso de mau tempo, pois desestabilizam os instrumentos de orientação utilizados pelos pilotos.

    A Associação – que reúne mais de 200 companhias de aviação – averiguou que, em seis anos, 75 incidentes – causados por passageiros que deixaram seus aparelhos ligados – mereceram atenção. Desses, em 26 verificou-se problemas com os controles do veículo e em 17 o sistema de navegação foi prejudicado.

    Outro estudo, conduzido pela fabricante de aviões Boeing, concluiu que o dispositivo que causa maior interferência é o iPad, seguido pelo BlackBerry. Nos testes, apenas um deles enviava tantos sinais que o nível considerado seguro pela empresa para levantar voo era facilmente ultrapassado.

    O documento da Boeing inclui, inclusive, testemunhos de pilotos, relatando problemas causados pelos aparelhos. “A 4500 pés (1370 metros), o piloto automático foi desabilitado e os alertas começaram a ser exibidos”, diz um deles. “As aeromoças foram imediatamente impelidas a procurar por PAX (passageiros) que estivessem utilizando dispositivos eletrônicos. Elas reportaram quatro ocorrências (um celular e três iPods)”.

    Nos últimos anos, especialista têm alertado que a crescente obsessão por dispositivos móveis é capaz de criar uma “tempestade” de interferência, levando à falha de instrumentos e, em casos extremos, a sérios acidentes;

    Membros da IATA insistem para que passageiros não ignorem mais os avisos quanto ao perigo de aparelhos conectados à rede. Eles são claros: o avião pode colidir por causa dos mesmos.

    A interferência provocada por smartphones foi citada como um dos possíveis motivos para a queda de um avião na Nova Zelândia em 2003 – o piloto estaria telefonando para casa. Oito pessoas morreram. Já em 2007, o equipamento de navegação de um Boeing 737 falhou logo após a decolagem nos Estados Unidos, e só foi reativado após avisaram um passageiro para que desligasse seus GPS.

    Publicado por jagostinho @ 12:54



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Uma resposta

WP_Cloudy
  • Míriam Disse:

    Qdo dependíamos somente do telefone fixo, tudo se resolvia após uma viagem aérea, de carro, na saída da escola, em fones públicos, etc, etc,….

    Hoje o sujeito entra numa aeronave e telefona para dizer que embarcou, que já está pisando em solo, que a comidinha é horrível, que vai pegar taxi, enfim , arruma o que falar ,desnecessariamente, parece um tic nervoso. Isso tem que ser policiado em benefício de todos.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.