Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 30jul

    PARANÁ ONLINE/ELIZABETE CASTRO

    O diretor geral de Itaipu, Jorge Samek, é um dos avalistas do nome do deputado federal petista

     

    O diretor geral da Usina de Itaipu, Jorge Samek, lançou na noite de quinta-feira, 28, o nome do deputado federal Ângelo Vanhoni como pré-candidato do PT à prefeitura de Curitiba nas eleições do próximo ano.

    Vanhoni não confirma a intenção de concorrer, mas integrantes da sua corrente interna, Construindo um Novo Brasil, como os deputados estaduais Péricles Mello e Toninho Wandscheer, defenderam sua participação na disputa, durante reunião na sede do diretório estadual, em Curitiba.

    Vanhoni já foi candidato a prefeito em três ocasiões. A última foi em 2004, quando o atual governador Beto Richa (PSDB) foi eleito para o seu primeiro mandato.

    Vanhoni acha que o momento é de o PT reencontrar a unidade interna e de discutir um projeto para a cidade.

    Mas Samek insistiu que Vanhoni é o nome mais competitivo eleitoralmente do partido.

    No momento, o PT de Curitiba tem outros dois pré-candidatos.

    O deputado estadual Tadeu Veneri e o deputado federal Dr. Rosinha.

    Os dois pertencem a grupos diferentes do campo majoritário.

    Já Samek representa uma parcela do campo que trabalha a tese da candidatura própria, mas desde que com um nome do grupo, enquanto uma outra ala da tendência Construindo um Novo Brasil está apostando na entrada de Gustavo Fruet no PDT e numa eventual aliança com o PT em 2012.

    Nesta ala, estariam a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, principal nome do partido para a disputa ao governo em 2014, e o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, além do secretário nacional de Comunicação do PT, deputado federal André Vargas, que já se posicionou publicamente defendendo o diálogo com Gustavo.

    “Estamos no prazo e temos esse tempo. Definir candidato somente lá por janeiro ou fevereiro. Agora, é necessário mobilizar. É tempo de fazer política”, disse Vanhoni.

    Ele propôs a elaboração de um amplo diagnóstico sobre os problemas e alternativas para a cidade de Curitiba e um projeto que, a exemplo das transformações promovidas pelos governos do PT de Lula e Dilma no país, combine crescimento econômico com inclusão social.

    Gleisi também

    Além de defender a pré-candidatura de Vanhoni, Samek também abriu a discussão sobre a candidatura ao governo. ” 2014 tem data, nome e sobrenome.

    Vai ser a Gleisi Hoffmann, primeira governadora do Paraná”, disse o dirigente da Itaipu.

    Ele acha que os dois processos eleitorais, as disputas para prefeitura e governo do Estado, estão conectados.



    Publicado por jagostinho @ 15:02



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

2 Respostas

WP_Cloudy
  • tony Disse:

    Até agora a não entendi a pressa em se definir o candidato á prefeito. Falta mais de um ano para a eleição, muita coisa pode acontecer, e tanta precipitação pode confundir o eleitor. E se o meu ex-colega de Bom Jesus desistir da candidatura, o que o povo vai pensar? E se o Gustavo desistir da dele também? E se a mulher do Beto se candidatar a prefeita? Mas isto não passa pela cabeça destes precipitados, que acreditam que eleição se decide na véspera. Tony

  • Valmor Stédile Disse:

    Desistências são possíveis, mas Gustavo Fruet fora do páreo nem pensar. É o mais candidato de todos. Fernanda Richa é inelegível para a próxima eleição, está na vigência do segundo mandato de Beto, reeleito em 2008.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.