Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 03ago

    IMPRENSA ENIO VERRI/RENATO SORDI

    Verri - debate rico e democrático

    Líder da oposição na Assembleia Legislativa, o deputado Enio Verri (PT) afirmou nesta terça-feira (2) que a retirada por cinco sessões da pauta da Alep do projeto que amplia a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Paraná (Agepar) representa um avanço.

    O acordo para adiar a votação, que seria realizada nesta tarde, foi proposto por Verri e aceito pelo líder do governo na Casa, deputado Ademar Traiano (PSDB).

    No entanto, Verri reiterou que a oposição vai continuar empenhada para retirar a Copel e a Sanepar do projeto que regulamenta a agência.

     “Hoje tivemos um debate rico e democrático. Considero um avanço a retirada do item da pauta por cinco sessões. Mas mantemos nossa posição. Não haverá acordo com a oposição caso o governo insista em manter a Copel e a Sanepar subordinadas à agência reguladora”, afirmou.

    A sessão começou com uma explanação do secretário do Planejamento, Cássio Taniguchi, sobre a importância do projeto.

    Escalado para fazer a defesa da proposta governista, Taniguchi foi questionado por Verri sobre a inclusão dos serviços de energia e saneamento no projeto, uma vez que a Copel e a Sanepar são empresas estatais.

    “Regular o mercado é regular as concessões privadas. Concordamos com a regulação de serviços como pedágio, transporte intermunicipal, gestão de resíduos sólidos, etc. Mas a Copel e a Sanepar são estatais, portanto não cabe ao estado interferir neste processo”, disse.

    O deputado também fez questionamentos sobre as intenções do governo estadual com a proposta, levantando a possibilidade de privatização das estatais no futuro.

    “A agência reguladora não privatiza, mas cria todas as condições para tal. E isto preocupa. Por que  o governo Richa insiste em manter no projeto a Copel, que já é regulada pela Aneel, uma vez que a agência não terá poder nenhum sobre a empresa? Por que manter a Sanepar, se a concessão da água é municipal e cada cidade decide quem irá prestar o serviço?”, perguntou.

    Após os questiomentos de Verri e o anúncio da retirada do item por cinco sessões, Traiano acenou com a possibilidade do governo retirar a regulação da Copel, mas não se manifestou sobre a Sanepar.

     

     

    Publicado por jagostinho @ 13:08



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.