Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 16ago

    PARANÁ ONLINE/ROGER PEREIRA

    Algaci Túlio mostra o documento com assinaturas

    A Câmara Municipal de Curitiba vai investigar, através de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) as denúncias de irregularidades que teriam sido cometidas pelo presidente da Casa, João Cláudio Derosso.

    O pedido de CPI tinha 10 assinaturas e o compromisso dos três vereadores do PDT de assiná-la, garantindo as 13 adesões necessárias, quando a sessão foi suspensa e uma reunião entre todos os líderes foi convocada.

    Após a reunião, todos os partidos, inclusive o PSDB de Derosso, decidiram assinar o pedido.

    A CPI conta, agora, com 33 adesões. Só não assinaram os vereadores ausentes do plenário: Derosso, Francisco Garcez (PSDB), João do Suco (PSDB) e Sabino Picolo (DEM).

    “Vamos buscar a maioria, para dar legitimidade à CPI. Não adianta brigarmos em minoria”, disse o líder do PDT, Tito Zeglin explicando porque ainda não tinha assinado a CPI. 

    “Eles sentiram que não havia mais como evitar a CPI, depois de tantas denúncias. Explicamos que era importante a adesão de todos, para não ficar uma CPI da oposição. É uma demonstração de que toda a Câmara quer esclarecida essa situação”, disse o vereador Paulo Salamuni (PV), um dos primeiros a assinar a CPI.

    “Se a comissão de líderes decidiu que esse é o melhor caminho para se investigar essas supostas irregularidades, não vemos porque não assinar. Com a CPI teremos uma investigação mais ampla, pluripartidária, democrática e com amplo direito de defesa”, justificou a vice-líder do DEM, Julieta Reis. 

    “Foi uma decisão de bancada. Sem influência da direção do partido, do prefeito ou do governador. A Casa tem um regimento e uma denúncia tem que ser tratada da forma regimental. Assinamos num ato de muita responsabilidade, cientes de que este é o caminho certo”, justificou o vice-líder do prefeito, Serginho do Posto (PSDB) que negou que a bancada de situação tenha tentando blindar Derosso até onde foi possível.

    “Em nenhum momento houve blindagem. Assinamos hoje, como vários outros partidos por termos concluído, na reunião de ldieranças que esse é o melhor caminho”, disse.

    Publicado por jagostinho @ 09:33



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.