Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 21ago

    VEJA.COM

    Mário NegromonteMário Negromonte (Joedson Alves/AE)

     

    Depois dos escândalos que derrubaram os ministros dos Transportes e da Agricultura, o radar do Palácio do Planalto está apontado desde a semana passada para o gabinete do ministro Mário Negromonte (PP), das Cidades.

    A edição de VEJA que chegou às bancas neste sábado traz informações levadas à ministra das Relações Insitucionais, Ideli Salvatti, por um grupo de parlamentares do PP.

    Em guerra aberta com uma parte da legenda pelo controle do partido, Negromonte estaria transformando o ministério num apêndice partidário e usando seu gabinete para tentar cooptar apoio.

    Segundo relatos dos deputados que foram convocados para reuniões na pasta, a ofertas em troca de apoio incluem uma mesada de 30.000 reais para quem aderir.

    O PP é o terceiro maior partido da base aliada, com 41 deputados e cinco senadores.

    Controla há anos o Ministério da Cidade, que dispõe de um orçamento de 22 bilhões de reais e programas de forte apelo eleitoral em todos os cantos do país.

    Na formação do governo Dilma, Negromonte foi indicado mais por suas relações com o PT da Bahia do que pelo trânsito junto aos colegas.

    Uma parcela do PP queria manter Márcio Fortes, ministro por mais de cinco anos no governo Lula.

    Há duas semanas, o grupo ligado ao ex-ministro conseguiu destituir da liderança do partido o deputado Nelson Meurer, aliado de Negromonte.

    Colocou no lugar dele Aguinaldo Ribeiro, aliado de Márcio Fortes.

    Ao perceber o poder se esvaindo, Negromonte contra-atacou montando um bunker numa sala anexa ao seu gabinete, onde quatro aliados de sua inteira confiança – os deputados João Pizzolatti, Nelson Meurer, José Otávio Germano e Luiz Fernando Faria – tentam persuadir os deputados a se alinhar novamente com o ministro.

    Apenas na última terça-feira, doze parlamentares estiveram no ministério. Sob a condição do anonimato, três deles revelaram que ouviram a proposta da mesada de 30.000 reais.

    Confrontado, o ministro atribui tudo a um jogo de intrigas e aponta o rival Márcio Fortes como responsável: “Sei que há boatos de que pessoas vieram aqui para fazer isso e aquilo, da mesma forma que o pessoal estava dizendo que o Márcio Fortes foi lá na liderança fazer promessa, comprometer-se na tentativa de arranjar assinatura. Não me cabe ficar comentando boato”.

    Fortes, por sua vez, rebate de maneira lacônica: “No dia 31 de dezembro, deixei o cargo de ministro e me afastei das atividades partidárias”.

    A compra de votos não de parlamentares não é algo novo na história do PP, um dos protagonistas do escândalo do mensalão – que, aliás, envolvia pagamento de mesada.

    Na ocasião, líderes da legenda receberam 4,1 milhões de reais em propina e quatro integrantes do partido estão denunciados no processo que tramita no Supremo Tribunal Federal.

    O Ministério das Relações Institucionais confirma ter recebido as denúncias e está acompanhando a guerrilha do PP com muita atenção.

    A presidente Dilma Rousseff também já foi informada do problema.

    Publicado por jagostinho @ 09:32



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Uma resposta

WP_Cloudy
  • Carlos Toledo Disse:

    Os votos de corruptos para fazer reformas importantes Jota?, é melhor a presidente levar em frente e varrer de Brasilia os sangue suga chupa cabras, vampiros do dinheiro da nação, a saída é depois que limpar a corja de corruptos ai sim junto com a maioria do povo Brasileiro que ainda tem dignidade promover as verdadeiras mudanças que o Pais precisa, nem que para isto tenhamos que sair em mobilização da qual sugiro a presidente mobilizara a nação os cidadãos e pegar milhões e milhões de assinaturas do povo 5 a 10 milhões assinaturas bastaria, ela deve ter aprendido bons exemplos com Brizola de não se curvar aos bandidos ladrões da nação,va em frente Presidenta Dilma nada de dizer que estes ladrões prestaram bons serviços ao Brasil,o lugar deles é na cadeia.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.