Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 15jan

    Delúbio Soares (*)

    Há fatos da maior importância para o Brasil e os brasileiros, vários deles de relevância histórica, que estão acontecendo desde que o Partido dos Trabalhadores chegou ao Palácio do Planalto e implementou as profundas mudanças que nossa sociedade exigia em todos os setores da vida nacional.

    Por motivações que todos conhecemos e que vão do preconceito ideológico à má-fé pura e simples, da desinformação à incredulidade, se estão sonegando da imensa maioria da população os espetaculares indicadores de um Brasil que disparou e recupera o tempo perdido.

    Por aversão notória ao PT ou por evidente boicote aos governos de Lula e Dilma, tanto faz, a verdade está sendo escondida ou em seu lugar nos deparamos com um estrondoso silêncio quando não com a mentira e a manipulação de dados e fatos.

    Um dos mais lúcidos intelectuais da atualidade, o sociólogo Marcos Coimbra, fundador do Instituto Vox Populi, em seu brilhante artigo ‘’Mídia nativa e perplexidade mongol” publicado na revista Carta Capital – que reproduzi em meu site (http://migre.me/7u8VG) – analisa a discrepância entre a aprovação inédita de um governo muitíssimo bem avaliado pelos brasileiros, num país com impressionante auto-estima e, paradoxalmente, o que se lê, o que se vê e o que se escuta na mídia desconectada da realidade, trancafiada no labirinto de seus preconceitos ideológicos e comprometimentos partidários, avessa à verdade e denotando uma espécie de inacreditável autismo!

    Marcos Coimbra, com competência e acuidade, imagina o  quão perplexo ficaria um analista estrangeiro ao defrontar-se com o Brasil em permanente crise, quase de dimensões catastróficas, pintado pela imprensa nativa e o Brasil real, que vive um dos melhores momentos (senão o melhor) de sua vida republicana.

    De um lado  estaria a incredulidade pela diferença entre o que leu em nossos grandes jornais, viu no noticiário dos principais veículos de comunicação de massa e o que compreendeu dos sentimentos da população, a partir das pesquisas de opinião disponíveis.

    De outro, pela discrepância entre o que dizem setores da imprensa nativa e toda a imprensa internacional a respeito do Brasil. Trocando em miúdos: os boatos sendo desmentidos cabalmente pelos fatos.

    Tem razão o competente intelectual mineiro ao trazer à discussão a dicotomia entre o Brasil das ruas, altaneiro e vitorioso, o Brasil dos fatos e da verdade evidente, com o Brasil cinzento e derrotado, obra da ficção elaborada pelo ressentimento político e o engajamento partidário dos que perderam nas urnas e persistem abraçados a rancores e mágoas, desinformando.

    E, felizmente, não é a maior parte da imprensa brasileira, que tem cumprido sua missão de informar e de esclarecer com a exação de sempre. Porém, existem informações da maior importância para nosso país e que não tem tido a devida repercussão.

    Qualquer país do mundo, especialmente no momento em que a velha e poderosa Europa se debate com inédita crise,  gostaria de ostentar indicadores econômicos como os que o Brasil, pela herança de Lula e a competência de Dilma, está apresentando aos seus cidadãos e ao mundo: as exportações do agronegócio registraram a impressionante cifra de US$ 95 bilhões, batendo recorde histórico.

    Nossas exportações de produtores agroindustriais superam em 24% os números alcançados em 2010, quando atingimos a já fabulosa marca dos US$ 76,4 bilhões. Esse foi nosso melhor desempenho desde 1997, e a meta da presidenta Dilma Rousseff é fazer com que o Brasil ultrapasse os US$ 100 bilhões, com crescimento estimado de, no mínimo, 5,7%.

    Nos portos da União Européia, da China, dos Estados Unidos, Rússia e do Japão, os imensos cargueiros que desembarcam nossos grãos, farelos e óleo, por exemplo, são o retrato da sexta economia mundial, aquela há poucas semanais deixou o respeitável Reino Unido para trás..

    É pouco para quem valoriza os boatos, mas é apenas a realidade para os que analisam os fatos e acompanham o impressionante crescimento do Brasil desde 2003, quando o presidente Lula iniciou a profunda revolução pacífica que soergueu um país desmoralizado e sem qualquer credibilidade internacional.

    Poucos brasileiros, muito poucos, foram informados de quem ouve um superávit comercial de quase 48% em nossa balança comercial em 2011.

    O competente secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Alessandro Teixeira, faz poucos dias, anunciou que alcançamos quase US$ 30 bilhões de superávit em nossas relações comerciais com os demais países, batendo novo recorde histórico.

    Vendemos US$ 256 bilhões e compramos US$ 226 bilhões. Um indicativo seguro de muito trabalho, seriedade e sucesso nas políticas comerciais adotadas pelo governo da presidenta Dilma Rousseff. O saldo comercial foi robusto, contribuindo para as contas externas do país.

    Os boatos dão conta de coisas miúdas e desimportantes, mas que ocupam por algum espaço de tempo grande parte do noticiário e, com certo estardalhaço, vão deixando pelo caminho algumas reputações estraçalhadas…

    Os fatos, perdidos nos cantos de páginas ou nem sempre levados à opinião pública, mostram um Brasil pujante e vencedor, ganhando mercados internacionais com seus produtos de altíssima qualidade e por demais competitivos, tornando-se uma das principais potências econômicas do século 21.

    Os boatos são a expressão do rancor dos que foram derrotados nas urnas depois de terem governado por décadas, de terem quebrado o país, de terem entregue à preço-de-banana as melhores empresas estatais.

    Os fatos são a verdade de um país muito melhor que os brasileiros estão construindo com alegria, talento e trabalho.

    (*) Delúbio Soares é professor

    www.delubio.com.br

    www.twitter.com/delubiosoares

    www.facebook.com/delubiosoares

    [email protected]

    Publicado por jagostinho @ 18:47



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Uma resposta

WP_Cloudy
  • Míriam 8 Disse:

    Cada um que sobe ao poder, massacra o governo anterior, senão partidos contrários . Na verdade mudam-se as coleiras , mas a cachorrada é a mesma.
    E o pior, com uma determinada classe pagando a conta.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.