Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 19jan

    AFP

    Os Estados Unidos estão “completamente preparados” para qualquer confronto com o Irã pelo controle do estratégico Estreito de Ormuz, mas tem esperanças de que o litígio se resolva pacificamente, disse nesta quarta-feira (18) o secretário da Defesa, Leon Panetta.

    “Obviamente, sempre continuamos com os preparativos para estarmos prontos para qualquer contingência, mas não estamos adotando nenhuma medida especial porque estamos plenamente preparados para fazer frente a esta situação agora mesmo”, disse Panetta à imprensa.

    No mês passado, Teerã ameaçou fechar o Estreito de Ormuz – por onde passa a quinta parte do petróleo comercializado no mundo – no caso de um ataque militar ou um endurecimento severo das sanções internacionais impostas por causa de seu controverso programa nuclear.

    Houve um aumento da tensão bilateral porque Washington está reforçando sua presença naval em águas fora do Golfo Pérsico, em resposta a estas ameaças.

    “Sempre mantivemos uma presença muito forte nesta região. Temos uma frota naval localizada ali”, ressaltou Panetta.

    Presença

    Segundo o chefe do Pentágono, “temos presença militar nesta região para deixar bem claro que faremos tudo o que for possível para ajudar a garantir a paz nesta parte do mundo”.

    Panetta sustentou que o governo americano tem sido explícito em seus esforços para impedir que o Irã obtenha a bomba atômica e que feche o Estreito de Ormuz, informando ao mesmo tempo o adiamento de exercícios conjuntos com Israel, segundo pedido do colega israelense, Ehud Barak.

    “O ministro Barak se comunicou comigo e informou que estavam interessados em adiar as manobras”, disse.

    Na sexta-feira (13), o jornal New York Times publicou, citando funcionários americanos, que Washington utilizou um canal secreto para advertir ao guia supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, que fechar a passagem estratégica significaria cruzar a “linha vermelha” e provocaria uma resposta.

    Publicado por jagostinho @ 18:57



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.