Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 18mar
    ABRABAR PARANÁ
    Quando existe bom senso e todo mundo avisado e preparado com a documentação tudo caminha na normalidade! conforme informação e orientação “oficial” que recebi de membro da prefeitura. A prioridade é o combate a pertubação do sossego. Obrigado a todos pela atenção!
    Fabio Aguayo
    Presidente ABRABAR

     

    GAZETA DO POVO

    A Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu) realizou na noite desta sexta-feira (16) uma pequena operação para fiscalizar três estabelecimentos comerciais do bairro São Francisco, em Curitiba.

    De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Militar, um dos órgãos que integram a Aifu, foram  iscalizados os bares Atacama, Chinasky e Lado B.

    Durante a fiscalização, apenas um bar, o Atacama, foi notificado. Segundo a PM, o estabelecimento recebeu uma notificação por ausência de licença ambiental, que deve ser emitida pela Secretaria de Urbanismo do município, e também um auto de infração no valor de R$ 2 mil por perturbação de sossego.

    Ninguém foi preso e não houve maiores incidentes.

    A reportagem tentou entrar em contato com o bar para comentar o assunto, mas não obteve sucesso. O presidente da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas, Fábio Aguayo, afirmou que a maioria dos bares está em situação legal, e que a ausência de documentos se deve à demora da Secretaria de Urbanismo em emitir alvarás.

    Ele afirma que 70% dos estabelecimentos esperam uma resposta da prefeitura.

    “A maioria conta com um protocolo de que entrou com o pedido de regularização, mas desde dezembro há documentos à espera para seremavaliados. Há também dois ou três que estão sem a licença em mãos porque o
    contador não entregou o documento a tempo”, disse.

    Quanto á perturbação de sossego, Aguayo diz que defende a ação da polícia em casos de desrespeito à lei, mas que a maioria dos casos pode ser solucionada com uma conversa entre poder público, bares e
    moradores, além de maior investimento em seguranças nas áreas externas dos bares para evitar barulhos e direcionar melhor o público que ainda espera na fila.

    “Grande parte do barulho não é responsabilidade do bar, mas de postos de combustível que ficam na esquina, próximos às casas, e que geram confusão.

    Outro problema é a falta de estacionamento. Muitas pessoas deixam o carro longe do bar, e na saída, se dirigem em grupo até o estacionamento, às vezes falam em voz alta, e isso incomoda moradores. Mas vamos investir em mais esclarecimento e mais diálogo”, finalizou.

    Atualmente, as áreas consideradas mais problemáticas pelo poder público são a região da Rua Itupava (Alto da XV) e Avenida Batel (Batel), além dos bairros Água Verde e São Francisco, que concentram grande parte dos bares e casas noturnas da cidade.

    As notificações, em sua maioria, ocorrem por perturbação de sossego, ausência de alvará, licença ambiental e de saídas de emergência.

    A Aifu é uma ação coordenada pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp) que reúne órgãos como polícias Civil e Militar, Secretaria de Meio-Ambiente e Vigilância Sanitária, entre outros, com o intuito de fiscalizar estabelecimentos comerciais na capital e no interior.



    Publicado por jagostinho @ 17:13



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.