Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 28mar

    BRASIL 247

    Ernani de Paula - ex-prefeito de Anápolis

    O Mensalão, maior escândalo político dos últimos anos, que pode ser julgado ainda este ano pelo Supremo Tribunal Federal, acaba de receber novas luzes.

    Elas partem do empresário Ernani de Paula, ex-prefeito de Anápolis, cidade natal do contraventor Carlinhos Cachoeira e base eleitoral do senador Demóstenes Torres (DEM-GO).

    “Estou convicto que Cachoeira e Demóstenes fabricaram a primeira denúncia do mensalão”, disse o ex-prefeito em entrevista ao 247.

    Para quem não se lembra, trata-se da fita em que um funcionário dos Correios, Maurício Marinho, aparece recebendo uma propina de R$ 5 mil dentro da estatal.

    A fita foi gravada pelo araponga Jairo Martins e divulgada numa reportagem assinada pelo jornalista Policarpo Júnior.

    Hoje, sabe-se que Jairo, além de fonte habitual da revista Veja, era remunerado por Cachoeira – ambos estão presos pela Operação Monte Carlo.

    “O Policarpo vivia lá na Vitapan”, disse Ernani de Paula ao 247.

    O ingrediente novo na história é a trama que unia três personagens: Cachoeira, Demóstenes e o próprio Ernani.

    No início do governo Lula, em 2003, o senador Demóstenes era cotado para se tornar Secretário Nacional de Segurança Pública.

    Teria apenas que mudar de partido, ingressando no PMDB.

    “Eu era o maior interessado, porque minha ex-mulher se tornaria senadora da República”, diz Ernani de Paula.

    Cachoeira também era um entusiasta da ideia, porque pretendia nacionalizar o jogo no País – atividade que já explorava livremente em Goiás.

    Segundo o ex-prefeito, houve um veto à indicação de Demóstenes.

    “Acho que partiu do Zé Dirceu”, diz o ex-prefeito. A partir daí, segundo ele, o senador goiano e seu amigo Carlos Cachoeira começaram a articular o troco.

    O primeiro disparo foi a fita que derrubou Waldomiro Diniz, ex-assessor de Dirceu, da Casa Civil. A fita também foi gravada por Cachoeira.

    O segundo, muito mais forte, foi a fita dos Correios, na reportagem de Policarpo Júnior, que desencadeou todo o enredo do Mensalão, em 2005.

    Agora, sete anos depois, na operação Monte Carlo, o jornalista de Veja aparece gravado em 200 conversas com o bicheiro Cachoeira, nas quais, supostamente, anteciparia matérias publicadas na revista de maior circulação do País.

    Até o presente momento, Veja não se pronunciou sobre as relações de seu redator-chefe com o bicheiro.

    E, agora, as informações prestadas ao 247 pelo ex-prefeito Ernani de Paula contribuem para completar o quadro a respeito da proximidade entre um bicheiro, um senador e a maior revista do País.

    Demonstram que o pano de fundo para essa relação frequente era o interesse de Cachoeira e Demóstenes em colocar um governo contra a parede.

    Veja foi usada ou fez parte da trama?

     



    Publicado por jagostinho @ 10:47



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

2 Respostas

WP_Cloudy
  • Míriam 8 Disse:

    Olhem o fio da meada …. Tudo farinha de um mesmo saco.
    ONDE ESTÃO OS REPRESENTANTES DO POVO?

  • LINEU TOMASS Disse:

    CARO JOTA.

    Eu conheço de perto esta história do MENSALÃO DO PT, através do JOEL DOS SANTOS FILHO, que foi quem deu o “start” (partida) no maior escândalo político do país, pois entrevistei por diersas vezes o JOEL, que é advogado de Curitiba, está residindo em Curitiba, frequenta a Boca Maldita, e ontem fez mais um depoimento na Polícia Federal. Fale com ele e veja só o que aconteceu nesta audiência. Você conheceu o pai dele, que foi diretor do IPCM na gestão do FRUET, o Sr. JOEL DOS SANTOS. Veja o que o JOEL me revelou.

    1- Foi ele o JOEL QUEM FEZ A GRAVAÇÃO DA ENTREGA DA PROPINA AO MAURICIO MARINHO DOS CORREIOS. É a mão do JOEL que aparece nas gravação.

    2 -O JAIRO MARTINS, NÃO FEZ A GRAVAÇÃO. Ele somente alugou o equipamento ao JOEL e ao empresário a quem o JOEL assessorava.

    3 -A gravação foi feita para provar que o MARINHO (CORREIOS), nas licitações, favorecia SÓ as empresas que lhe pagassem propina, e eles queriam a prova deste esquema do MAURICIO, pois nunca ganhavam licitação, mesmo com preços menores.

    4- Segundo o JOEL, o jornalista do 247, é adversário do DEMÓSTENES e talvez por isso quer implicá-lo no mensalão do PT, talvez como “vendeta” ?

    5 – Coincidentemente, postei no meu blog: http://www.lintomass.wordpress.com no dia 25/3/12, um texto sob o título: ” O RESGATE DO FRANCENILDO. E O ERIBERTO DO COLLOR ? E O JOEL DOS SANTOS FILHO DO MENSALÃO ? ” Vejam lá.

    6 – O desfecho do mensalão do PT ainda não aconteceu, está para ser julgado no STF e muita coisa vai rolar ainda. Este assunto é nitroglicerina pura, NACIONAL. O JOEL É UMA PEÇA CHAVE NESTA HISTÓRIA. Existem fatos que na mídia foram distorcidos para proteger raposão de rabo felpudo com botas lustrosas de pelica e do mais alto coturno do Planalto.

    7 – Falei com o JOEL. Ele está disposto a lhe dar uma entrevista. Vou te passar o celular dele.

    8- Esta versão do ERNANI DE PAULA (ex-prefeito de Anápolis), não bate com os fatos que o JOEL me contou.

    LINEU TOMASS;

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.