Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 30mar

    Colaboração do amigo Chico Pesserl

    Entre os inúmeros assuntos que conversava, ao falar de política, Millôr mostrou, na prática, como entendia o papel do jornalista. Não perdoou ninguém. Veja um resumo das suas declarações:

    Getúlio Vargas: “Getúlio hoje é visto como um governante progressista. Foi, no mínimo, um filho da puta. Foi o cara que entregou a Olga Benário. Filinto Müller, chefe de polícia dele, torturou gente. Esse é o lado sentimental. Mas ele fez um grande projeto? Quando fez Volta Redonda, ele trocou aquilo por apoio na guerra, mas achei que ele podia ter tirado muito mais”.

    Juscelino Kubitschek: “Como é que se faz uma cidade em cinco anos num Estado democrático? Corrompendo todo mundo, é evidente. Uma corrupção avassaladora. O dinheiro que se gastou lá… Outra coisa: não vejo estrada de ferro no Brasil. Não tem uma estrada de ferro daqui para São Paulo! Trem pra Brasília. Acho ele um atraso. Você acha que a revolução demoraria 15 anos se a capital fosse no Rio de Janeiro?”.

    Jânio Quadros: “Jânio, aquele maluco. Não deu nem para ver. Em princípio, eu tinha simpatia pela maluquice dele… Esse eu cheguei a conhecer vagamente, por causa do José Aparecido de Oliveira, que era secretário dele. Ele mandou a peça (“Os Órfãos de Jânio“) para o Jânio, sem eu saber. E ele disse para o Aparecido: ‘Este Millôr é um gênio, e não vamos discutir a obra dele’.”

    João Goulart: “Conheci o Jango em boates, com aquela perninha puxando, comendo aquelas mulheres… Medíocre! De repente, ele virou líder da esquerda. Eu escrevi: ‘Foi o único presidente da República que, quando foi deposto, fugiu para a capital’. Pegou a mala e foi pra lá.”.

    José Sarney: “Não tendo no cérebro os dois bits mínimos para orientá-lo na concordância entre sujeito e verbo, entre frase e frase, entre idéia e idéia, como exigir dele um programa de governo coerente?”

    Fernando Henrique Cardoso: “Fernando Henrique é um idiota. É um idiota. Os caras falam do Lula… O Fernando Henrique é o Sarney em barroco. Ele não diz coisa com coisa.”

    Lula: “O Lula é divertido, vamos dizer assim. Logo que ele começou, eu disse um`negócio e não tenho razão de retirar: ‘A ignorância lhe subiu à cabeça’. Ele está pensando que sabe tudo e não sabe nada.”.



    Publicado por jagostinho @ 17:01



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Uma resposta

WP_Cloudy
  • Míriam 8 Disse:

    Inteligente, visionário e capaz de perceber os mínimos detalhes na política, transformando suas críticas em textos “para pensar”.

    Perde-se o melhor , perde-se o maior. Ele era o papa do jornalismo crítico,
    além de tradutor , desenhista, escritor, e um profundo conhecedor da língua portuguesa.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.