Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 11abr

    Michelotto: "Não abro da hierarquia e disciplina"

    GAZETA DO POVO

    O delegado-geral da Polícia Civil, Marcus Vinícius Mi­­chelotto, voltou a dizer ontem que a operação no Parolin foi perfeita no combate a uma atividade criminosa e corruptora, mas não concorda com a forma como foi realizada.

    “Não posso aceitar que a Polícia Civil seja um bando armado sem comando. Não abro mão da hierarquia e disciplina na instituição. Entendo que as coisas foram erradas, por isso determinei à Corregedoria a investigação”.

    Em reunião à tarde, o delegado-chefe da Corregedoria da Polícia Civil, Paulo Ernesto Araújo Cunha, disse que não tinha tempo para falar sobre o caso.

    “Não posso permitir que pessoas que eu comando façam as coisas da forma como foram feitas”, diz Michelotto.

    “Por que foram mascarados, pegando fotos escondidas, ameaçando pessoas, chamando o Gaeco? Policial civil faz operação de forma correta, é treinado para isso, leva para a delegacia, apresenta aos delegados. Nunca da forma como foi feito”, observa.

    Segundo ele, o Cope e o Tigre nunca atuam mascarados, à exceção de dois ou três policiais que não podem ser reconhecidos, ou durante a apresentação de criminosos à imprensa.

    Mando e coordenação

    “A Polícia Civil é uma instituição armada, tem de ter mando, coordenação. Senão, vão começar a tomar posturas sem aprovação do delegado. Por que levar à imprensa e dois minutos depois sair dando entrevista falando que é um local inviolável, criando esse imaginário?”, questiona o delegado.

    “O objetivo era nítido de me atingir”, diz. Uma das explicações para a ação, segundo Michelotto, é porque ele apoia a atual diretoria do Sindicato das Classes Policiais Civis do Paraná (Sinclapol).

    Alguns policiais da operação no Parolin integram a chapa de oposição ao sindicato nas eleições do próximo dia 2.

    “Eles têm eleições agora em maio, então têm interesse em mexer nisso, se fazer de vítima, de mostrar para os policiais que estão sendo perseguidos”, diz Michelotto.

    Publicado por jagostinho @ 11:18



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.