Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 20jul

    AGÊNCIA ESTADO

    Utilizar as ferramentas digitais para se aproximar do eleitorado é uma das principais apostas dos candidatos que disputam as eleições municipais deste ano em todo o País.

    Desde o sucesso da campanha que elegeu Barack Obama como presidente dos Estados Unidos, em 2008, baseada numa eficiente estratégia nas redes sociais, o marketing digital vem ganhando lugar de destaque nas campanhas políticas, tornando-se um elemento vital na conquista do eleitorado. 

    A linha de ação é diversificada, desde os sites oficiais interativos, presença nas redes sociais, como Facebook e Twitter, até a utilização de móveis, como o Instagram, tudo para facilitar a integração candidato-eleitor.

    Na disputa pela maior prefeitura do País, a de São Paulo,aplicativos onde o pleito deve ser muito acirrado, as coordenações das campanhas dos oito principais postulantes já estão intensificando a presença online. 

    Para o coordenador de Marketing Eleitoral da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), Victor Trujilo, a principal mudança que a internet traz para as campanhas eleitorais deste ano é a possibilidade de o eleitor participar ativamente do processo de escolha do candidato.

    “Agora o eleitor tem voz. Ele pode denunciar, protestar, discordar, coisas que antes não fazia”. E isso, destaca o professor, trouxe mudanças para o próprio marketing político. “Se antes um candidato cometesse uma gafe, nada acontecia. Hoje pode se transformar em um viral.” 

    Apesar das ferramentas digitais estarem em alta nessas eleições e fazerem parte do dia a dia das campanhas dos candidatos que pleiteiam conquistar a prefeitura ou uma vaga no legislativo municipal, Victor Trujilo destaca que a internet no Brasil ainda não está universalizada, portanto, isoladamente não deverá alterar significativamente o eventual sobe e desce dos candidatos nas pesquisas.

    Contudo, ele argumenta que não se pode desconsiderar o grande poder das redes sociais na disseminação de mensagens ou dos chamados virais. 

    Publicado por jagostinho @ 15:21



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.