Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 26ago

    FOLHA.COM

    Neil Armstrong, o primeiro homem a pisar a Lua, morreu ontem aos 82 anos num hospital em Columbus, Ohio (Estados Unidos).

    O astronauta estava internado desde o dia 7 de agosto, quando passara uma cirurgia para desobstruir artérias coronárias. Sua morte às 15h45 (hora de Brasília) ocorreu em razão de complicações surgidas na operação.

    Armstrong foi o comandante da missão Apolo 11, que chegou a superfície da Lua em 20 de julho de 1969. Ao colocar os pés em solo lunar, cunhou a célebre frase: “É um pequeno passo para um homem, mas um grande salto para a humanidade”.

    Ele nasceu em 5 de agosto de 1930 em Wapakoneta, no Estado de Ohio, Estados Unidos.

    Minutos após a família anunciar a morte em um comunicado público, a imprensa do país foi inundada por homenagens ao astronauta.

    Armstrong, que morava na periferia de Cincinnati, era um homem relativamente recluso e sempre aceitou com relutância o tratamento de celebridade que lhe era dado em todo lugar que ia.

    “Além de ser um dos maiores exploradores da América, Neil possuía uma graça e uma humildade que era um exemplo para todos nós”, afirmou ontem em Washington o astronauta Charles Bolden, administrador da Nasa, a agência espacial dos EUA.

    “Quando o presidente John Kennedy desafiou a nação a mandar um homem para a Lua [em 1961], Neil Armstrong aceitou sem reservas.”

    O comunicado emitido ontem pela família de Neil Armstrong não trazia nenhuma informação sobre velório e enterro do astronauta.

    “Tanto quanto ele prezava sua privacidade, ele sempre apreciava a expressão de boa vontade por pessoas de todo o mundo e de qualquer status”, afirmava o documento. “Neil Armstrong era um herói americano relutante, que sempre acreditou estar apenas fazendo seu trabalho.”

    Edwin “Buzz” Aldrin, 82, companheiro de tripulação de Armstrong, disse que o considerava um grande “porta-voz” e um “líder” na defesa do programa espacial.

    “É, de fato, nós não poderemos mais estar juntos como tripulação no 50º aniversário [da Apolo 11], em 2019”, disse Aldrin em depoimento à BBC. “Eu aguardava isso ansiosamente”, afirmou o astronauta, que foi o segundo homem a pisar na Lua, após perder uma disputa interna na decisão de quem teria a glória de ser o primeiro.

      Divulgação/Nasa  
    Morreu aos 82 anos o astronauta Neil Armstrong, primeiro homem a pisar na lua
    O astronauta Neil Armstrong, primeiro homem a pisar na lua, em foto tirada pelo seu colega Edwin “Buzz” Aldrin

     

    POLÍTICA E ESPAÇO

    Num momento em que questões orçamentárias sobre o futuro da Nasa estão em discussão na campanha presidencial nos EUA, os dois candidatos fizeram questão de reagir à notícia o mais rápido possível.

    “Neil estava entre os maiores heróis americanos, não apenas deste tempo, mas de todos os tempos”, afirmou o presidente Barack Obama em um comunicado.

    “Sua paixão pelo espaço, pela ciência e pela descoberta, além de sua devoção pela América, vão me inspirar por toda minha vida”, declarou Mitt Romney, candidato do Partido Republicano à presidência.

    Armstrong, que costumava aparecer em eventos sobre exploração espacial da Nasa, não era muito engajado na vida política americana.

    A última vez que foi a um evento público em Washington foi para receber uma medalha do Congresso Americano em 2009. A TV da Nasa passou toda a tarde de ontem reprisando o discurso do astronauta no evento.

    Após deixar a Nasa e o programa Apolo, Armstrong foi lecionar engenharia aeroespacial na Universidade de Cincinnati, onde se aposentou como professor em 1979. (“Eu sempre fui e sempre vou ser um engenheiro ‘nerd’, do tipo que usa meias brancas e protetor de bolso.”)

    No comunicado que transmitiu à imprensa, a família de Armstrong fez um pedido em resposta a questionamentos de admiradores sobre o que fazer para homenagear o astronauta: “na próxima vez que você estiver caminhando ao ar livre em uma noite limpa e vir a lua sorrindo para você, pense em Neil Armstrong e pisque o olho para ele.”

    Assista o vídeo do pouso da Apolo 11, quando Neil pisou na lua:

    Publicado por jagostinho @ 09:34



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.