Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 14mar

    REUTERS
    Potássio Rio Colorado, da mineradora Vale, na Argentina

    Mina de potássio do Rio Colorado, explorada pela mineradora Vale, na Argentina (Reprodução)

    O governo da Argentina ameaçou nesta quarta-feira revogar a concessão da mina de potássio que a brasileira Vale explora no Rio Colorado, na província de Mendoza no país vizinho.

    A ameaça veio após a Vale anunciar na segunda-feira a suspensão de seu projeto neste local, alegando que “os fundamentos econômicos do projeto não estão alinhados com o compromisso da companhia em termos de alocação do capital e a criação de valor”, em um cenário macroeconômico ainda adverso para o setor.

    Esta não é a primeira vez que o governo argentino pressiona a mineradora por conta do projeto do Rio Colorado, que estava parado desde dezembro.

    Nesta ocasião, a empresa deu férias para os quase 6 mil funcionários que participavam do projeto por tempo indeterminado – fato que gerou grande repercussão e motivou a província argentina de Mendoza a exigir que a mineradora Vale reiniciasse os trabalhos no bilionário projeto de potássio na região.

    Em um discurso nesta quarta-feira na Casa Rosada, sede do Executivo argentino, o ministro de Planejamento, Julio de Vido, disse que a Vale violou as leis do país e que a outorga de concessão pode ser retirada.

    “A empresa violou a segurança jurídica e as leis da Argentina e de Mendoza, em particular, que outorgou a permissão de concessão. E se não a explorarem, vão perdê-la”, disse o ministro.

    No mesmo evento, o governador da província de Mendoza, Francisco Perez, disse que até esta quarta-feira a mineradora não havia notificado o governo sobre futuro de Rio Colorado.

    Ele também citou a presidente do país, Cristina Kirchner, dizendo que o projeto será levado adiante “com ou sem a Vale”.

    O governo argentino tem um histórico de expropriar empresas, alegando produção insuficiente. Em 2012, o governo nacionalizou 51% da petrolífera YPF, da qual a espanhola Repsol era acionista.

    Foi o mais notório exemplo de como o estado argentino pode intervir na atuação de empresas estrangeiras. Antes, o país já havia nacionalizado a linha aérea Aerolineas Argentinas e outras empresas de serviços.

    Futuro – Segundo fontes ouvidas pela agência Reuters, a Vale tentará vender seus ativos neste projeto e recuperar o dinheiro já investido no empreendimento.

    Inicialmente orçado em 4 bilhões de dólares, o projeto já se encontra avaliado em 5,9 bilhões de dólares – desse total, a Vale empresa chegou a investir pelo menos 2,2 bilhões de dólares.

    Segundo o comunicado de segunda-feira, a empresa afirma que “continuará honrando os compromissos relativos às suas concessões e seguirá buscando soluções que melhorem os fundamentos econômicos do projeto, para então avaliar a sua retomada”.

    Procurada, a Vale disse mais cedo que não comentaria a informação sobre a venda.

    A segunda maior mineradora do mundo disse ter completado 45% do projeto do Rio Colorado, que inclui, além da mina, 800 quilômetros de ferrovia e um terminal no porto de Bahía Blanca, ao sul de Buenos Aires.

    Em dezembro, pouco antes de suspender as obras, a Vale disse que estava buscando um parceiro para comprar parte do projeto e ajudar a suportar os custos, em um momento em que a mineradora tenta concentrar investimentos no seu negócio principal, de minério de ferro.

    A busca por um comprador, no entanto, ocorre em um momento de fragilidade dos preços das commodities metálicas, com as principais empresas do setor passando por aperto financeiro, registrando queda nos lucros e trocando executivos.

    Publicado por jagostinho @ 18:54



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.