Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 30abr

    SALA DE IMPRENSA/ITAIPU

    O superintendente de Comunicação da Itaipu, Gilmar Piolla, e o técnico da seleção brasileira de futebol, Luiz Felipe Scolari, na cota 40 (antigo leito do Rio Paraná). Foto: Nilton Acássio Rolin

    O superintendente de Comunicação da Itaipu, Gilmar Piolla, e o técnico da seleção brasileira de futebol, Luiz Felipe Scolari, na cota 40 (antigo leito do Rio Paraná). Foto: Nilton Acássio Rolin

    O técnico da seleção brasileira de futebol, Luiz Felipe Scolari, visitou Itaipu pela primeira vez neste domingo (28), acompanhado da mulher, Olga, e disse que a usina é a prova da capacidade de realização do País.

    Felipão acrescentou que, na primeira oportunidade, pretende trazer os jogadores da seleção para conhecer a binacional.

    “Porque vir aqui faz com que a gente valorize muito mais o nosso País. Aqui temos muita qualidade e é importante que a gente possa mostrar isso a todos”, afirmou o treinador, que comandará o Brasil na Copa do Mundo de 2014.

    “Muitas vezes a gente valoriza o que é de fora e não valoriza o que é daqui. Já tenho falado isso há muito tempo. E hoje, mais uma vez, fui cientificado de que nós, realmente, temos muita qualidade, somos muito bons no que fazemos”, acrescentou.

    Comandante da seleção que levantou o último título mundial pelo País (o pentacampeonato de 2002, no Japão e na Coreia do Sul), Felipão foi recebido pelo diretor-geral brasileiro, Jorge Samek, e pelos superintendentes de Comunicação Social, Gilmar Piolla, e de Operação, Celso Torino.

    Foi uma visita completa. O técnico gaúcho e a mulher assistiram ao vídeo institucional de Itaipu no Centro de Recepção de Visitantes (CRV); plantaram uma muda de jabuticaba no bosque dos visitantes; passaram pelo Mirante Central; ficaram encantados com a quantidade e o tamanho dos peixes no reservatório, lá no topo da barragem; e desceram até a cota 40, no antigo leito do rio Paraná.

    “Estou envergonhado de não ter vindo antes. Vivi muitos anos fora do País e poderia ter ajudado a divulgar essa magnitude que é Itaipu”, comentou.

    Na hora de plantar a árvore, Felipão e dona Olga fizeram questão de colocar a mão na terra.

    “Daqui a dois ou três anos vou voltar aqui comer jabuticaba”, prometeu o técnico, que também já treinou a seleção japonesa e times de ponta, como Grêmio, Palmeiras e o Chelsea, da Inglaterra.

    Curioso, o treinador quis saber de tudo: do volume de água do reservatório a detalhes da administração da empresa.

    Ficou impressionado quando ouviu que com a quantidade de concreto usado na usina daria para construir 210 estádios do Maracanã – palco da final da Copa de 2014.

    “Agora, quando estiver no estádio [nos próximos jogos da seleção], e olhar os refletores acesos, logo vou me lembrar de Itaipu com muito carinho e admiração”, acrescentou.

    Durante toda a visita, Felipão também teve de parar para tirar fotos e dar autógrafos. Principalmente os palmeirenses, clube pelo qual o técnico foi campeão da Copa Libertadores da América, em 1999.

    E o que o torcedor brasileiro pode esperar da seleção na Copa das Federações, em junho, e da Copa do Mundo, no ano que vem?

    “O torcedor pode ter a certeza de que nós vamos jogar bem, vamos conseguir os resultados que a gente pretende. E, para isso, contamos também com o nosso torcedor. Sabemos que a seleção é nossa, é do povo, é do Brasil, então vamos juntos, novamente, começar a formar uma boa equipe e receber muito bem as pessoas que aqui vierem”, declarou.

    Ele aproveitou também sua passagem por Foz para visitar as Cataratas do Iguaçu, onde fez o passeio do Macuco Safari.

    Publicado por jagostinho @ 11:37



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.