Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 23jul

    DO G1 – PR

    Posse de Fábio Camargo foi conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) foi realizada na tarde desta segunda-feira (22) (Foto: Carolina Wolf / RPC TV)

    Fábio Camargo estava acompanhado do pai, o presidente do Tribunal de Justiça do Paraná, Clayton Camargo, na cerimônia de posse como conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) (Foto: Carolina Wolf / RPC TV)

    O ex-deputado Fábio Camargo (PTB) foi empossado como conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) na tarde desta segunda-feira (22).

    Ele foi eleito para o cargo no dia 15 de julho, com 27 votos dos 52 parlamentares que participaram da eleição realizada na Assembleia Legislativa (Alep).

    Camargo formalizou a renúncia ao mandato de parlamentar um dia após a eleição para o cargo de conselheiro.

    O presidente do Tribunal de Justiça (TJ) do Paraná, Clayton Camargo, pai de Fábio Camargo, acompanhou a cerimônia e vestiu pela primeira vez a toga de conselheiro do TCE no filho.

    A esposa e os filhos do ex-deputado também estavam presentes.

    Camargo será responsável pelo sexto grupo de Inspetoria de Controle Externo (ICE). No total, o Tribunal de Contas tem seis grupos de ICEs atuantes.

    A inspetoria de Fábio Camargo será responsável pela fiscalização dos seguintes órgãos estaduais:

    Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab), Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), Secretaria de Estado do Trabalho, Emprego e Economia Solidária (Sets).

    E, ainda, a Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social (Seds), Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sema) e Procuradoria Geral do Estado do Paranpa (PGE).

    De acordo com o TCE-PR, Camargo terá direito a 17 assessores, que são divididos em duas estruturas: gabinete e Inspetoria de Controle Externo. Ele já começa a atuar no cargo logo após a posse.

    Candidatos

    O deputado Plauto Miró (DEM), o outro político que estava na disputa, recebeu 22 votos. Além dos deputados, também concorriam ao cargo 38 profissionais, desde advogados, técnicos do TCE-PR e professores.

    Apesar da diversidade do perfil dos postulantes, desde o início, era conhecido o favoritismo de um deputado para cargo. O pleito ocorreu de forma secreta, por determinação constitucional.

    Logo após do anúncio da vitória de Camargo, o então deputado afirmou ao G1 que a conquista“foi uma vitória suada, conquistada, respeitosa”.

    Pedido de suspensão

    Na sexta-feira (19), um pedido de liminar para suspender a eleição de Camargo foi protocolado na Justiça.

    O documento, de autoria do autor do ex-vereador de Castro, município da região dos Campos Gerais do Paraná, Edson Benedito Teixieira Strickert, pedia a realização de um segundo turno.

    Porém, a liminar não foi concedida pelo juiz que analisou o caso.

    Por meio de uma ação popular, Strickert alega que o Regimento da Assembleia menciona que será considerado eleito, em primeiro turno, o candidato que receber metade mais um dos votos dos deputados presentes.

    Segundo a liminar impetrada, como 54 deputados participaram da eleição, para ser vencedor o candidato precisaria de 28 votos.

    Impugnações

    Durante o processo eletivo foram apresentados três pedidos de impugnação à candidatura de Camargo.

    Todos foram rejeitados pela Comissão Especial que analisou as candidaturas ao Conselho TCE-PR.

     

    Publicado por jagostinho @ 16:21



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.