Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 04abr

    ELIANEELIANE CANTANHÊDE, jornalista, é colunista  da Folha. É também comentarista do telejornal ‘GloboNews em Pauta’ .

    A Petrobras, que já foi o que foi, agora compra uma refinaria por preços exorbitantes nos EUA e vende outra bem baratinho para a Argentina. No mínimo, a turma é ruim de fazer negócios.

    O pior é que a presidente Dilma Rousseff está no centro das discussões, com o Planalto batendo boca com o advogado Edson Ribeiro, que defende o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, pivô da crise.

    Foi Dilma quem criou a crise política e a ameaça de CPIs, quando disse, ou melhor, escreveu, que, na condição de chefe da Casa Civil de Lula e presidente do Conselho de Administração da Petrobras, foi induzida por um “relatório falho” e por “informações incompletas” a aprovar a compra da refinaria de Pasadena, nos EUA.

    “Seguramente”, frisou, a operação não deveria ser feita.

    Advogado de Cerveró, responsável pelo tal relatório esquisitão, desmentiu a versão da atual presidente da República e foi além: os conselheiros (logo, Dilma inclusive) receberam o contrato 15 dias antes, com tempo suficiente para examiná-lo.

    “Se não o fizeram, foram no mínimo levianos ou praticaram gestão temerária.” Quis dizer que Dilma também?

    O Planalto negou, reforçando a versão original da presidente. Ficou uma sensação de “acareação”, aguardando algum papel, algum carimbo, algum rastro burocrático que possa explodir uma das duas versões.

    Em forma de ameaça, o advogado disse que Cerveró “não será bode expiatório”. Ou seja, o Planalto, que gerou a crise, e o diretor, que é o pivô dela, pagaram para ver.

    Para complicar, um mesmo doleiro, Alberto Youssef, deu um Land Rover para Paulo Roberto Costa, outro ex-diretor da Petrobras enrolado com Pasadena, e emprestou seu jatinho para o petista André Vargas, vice-presidente da Câmara, e seus familiares.

    Youssef e Costa foram presos na Operação Lava Jato, da PF.

    Vargas tenta justificar o injustificável.

    Nada a ver? Sim, pode ser.

    Mas está tudo muito embolado. 

    Publicado por jagostinho @ 16:08



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.