Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 14abr

    TRIBUNA DO PARANÁ

    TERROR NO CEMITÉRIO 

    Matagal torna difícil cricular por entre os túmulos. Situação revolta quem tem familiares sepultados em um dos quatro cemitérios municipais de Curitiba. Foto: Gerson Klaina

    Frequentadores do Cemitério Municipal do Santa Cândida estão na bronca com as péssimas condições em que se encontram parte dos túmulos. Em uma das quadras local, o mato está tomando conta das sepulturas – em alguns pontos não é possível enxergar as estruturas.

    Além disso, há diversos jazigos destruídos por vândalos e completamente abertos, com caixões e ossadas à mostra.

    A região do cemitério mais castigada fica na quadra à direita de quem entra pelo portão principal do cemitério. Neste ponto, o matagal tomou conta dos túmulos e por isso é praticamente impossível caminhar entre os jazigos.

    Nesta área ainda há dezenas de sepulturas depredadas e abertas por marginais, que aproveitam para destruir os caixões, deixando ossadas a céu aberto.

    A cozinheira Rosemeri da Silva tem diversos parentes sepultados no Cemitério Municipal do Santa Cândida e costuma ir frequentemente ao local.

    Ela conta que já se acostumou com o mato tomando conta dos túmulos. “Sempre foi assim. Tem vezes que o pessoal vem e faz a poda, mas depois ficam um bom tempo sem vir”, diz.

    Ela disse à Tribuna que para visitar o túmulo de seu irmão tem que passar pela vasta vegetação que tomou conta do local.

    “A grama cresce e toma conta de tudo. Quando viemos aqui temos que nos embrenhar no mato. É triste, pois é um lugar de reflexão e lembranças. É até uma falta de respeito com a memória dos que já se foram e com as pessoas que vêm visitar seus parentes”, desabafa.

    Violência

    Dona Ieda da Silva, que é irmã de Rosemeri, conta que além da má conservação, o Cemitério Municipal do Santa Cândida também sofre com a violência.

    Ela diz que os assaltos são recorrentes no local. “Há algumas semanas atrás, uma conhecida minha, que trabalha com cosméticos, foi visitar o túmulo de um parente e foi assaltada. Levaram dela cerca de R$ 4 mil, que ela tinha acabado de receber”, diz.

    Ela ainda conta que no local já houve tentativa de estupro e que o uso de drogas é recorrente. “O cemitério é muito grande e tem como tem muito mato e alguns pontos com árvores, fica tudo mais fácil para a ação da bandidagem”, conclui.

    Guarda promete rondas reforçadas

    De acordo com o Inspetor Frederico, diretor da Guarda Municipal (GM), durante o dia a corporação realiza rondas na região e durante a noite há sempre um oficial no local.

    Mesmo assim, a GM se prontificou a reforçar o policiamento no Cemitério Municipal do Santa Cândida.

    “Com essa demanda, vamos ampliar as rondas no local. Mas gostaríamos que as pessoas que sofrem os assaltos liguem para o 153 e denuncie o crime. Só assim podemos agir de maneira mais pontual e eficaz”, afirma Frederico.

    Manutenção

    Por meio da assessoria de imprensa, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente informa que os serviços de conservação, manutenção e readequação dos quatro cemitérios municipais de Curitiba estão sendo feitos desde o dia 27 de janeiro por uma empresa terceirizada, vencedora do certame licitatório realizado no início do ano: a Tec-Press Representações Técnicas.

    A pasta ainda afirma que no dia em que a reportagem esteve no local, equipes estavam trabalhando na roçada e manutenção do cemitério Santa Cândida.

    Publicado por jagostinho @ 13:56



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.