Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 02maio

    GAZETA DO POVO/KATNA BARAN

    Os protestos de junho do ano passado, que levaram milhares de pessoas às ruas de Curitiba, incentivaram o protagonismo político dos cidadãos da capital.

    É o que aponta um levantamento do Instituto Paraná Pesquisas encomendado pela Gazeta do Povo e que compara o interesse e a atuação política de eleitores da cidade neste ano em relação a 2013.

    O impacto maior foi justamente na participação em protestos: em 2013, 5% dos entrevistados participaram de alguma manifestação; em 2014, esse porcentual subiu para 10%.

    O jovem Luan de Rosa e Souza é um dos exemplos dessa mudança. Ativista de direitos humanos e de educação política há pouco mais de dois anos, ele considera os movimentos do ano passado como um marco.

    “Ultrapassamos um limiar de como se pensar e fazer política”, diz.

    “A pesquisa [de 2013] foi feita antes das manifestações. De lá pra cá houve uma mudança de pensamento no país. Podemos dizer que vivemos outro país, muito longe do ideal, mas mudado, principalmente sobre a questão da participação política”, afirma o diretor do Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo.

    Para ele, essa diferença em relação ao levantamento do ano passado ajuda a explicar outros dados da pesquisa.

    Não foi só nas ruas que a participação aumentou: no ano passado, 13% dos moradores da capital disseram fazer algum trabalho voluntário.

    Neste ano, o índice subiu para 17%. O mesmo crescimento é percebido nas associações de bairro, em organizações não governamentais e em audiências públicas.

    Na soma, o porcentual de pessoas que participaram de alguma dessas atividades subiu de 45% para 63%.

    É o caso da jornalista Aline Vonsovicz, que atua como voluntária na gestão e comunicação das redes sociais e do site do Centro de Ação Voluntária (CAV).

    “Eu tenho o dom de escrever, de comunicar, por que não usar o meu dom para isso?”, diz.

    Segundo Alcione Andrade, que coordena as palestras “O que é ser voluntário?”, no CAV, semanalmente cerca de 30 novas pessoas procuram o centro interessadas em atividades voluntárias – número que tem aumentado.

    Interesse

    Conforme a pesquisa, o interesse político do curitibano também passou por mudanças.

    Apesar de quase 60% dos entrevistados admitirem não se interessar por política, o porcentual de pessoas que lê noticiários sobre o assunto subiu de 47% para 58%.

    A fiscalização sobre os políticos também cresceu. Enquanto em 2013 pouco mais da metade dos moradores da cidade disse que, além de votar, acompanhava o trabalho dos políticos de alguma maneira, em 2014 esse índice saltou para 70%.

    O eleitor curitibano também tem acompanhado mais o desempenho dos políticos durante o mandato eletivo.

    Praticamente todos os porcentuais de consulta de informações sobre a atividade dos parlamentares – seja no site da Câmara de Curitiba, da Assembleia Legislativa, da Câmara ou do Senado Federal – aumentaram no último ano.

    “A participação política ainda tem se mostrado mais forte na fiscalização do que na atuação”, avalia Hidalgo.

     

     

    Publicado por jagostinho @ 08:21



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.