Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 03maio

    G1

    O 14º Encontro Nacional do PT formalizou na noite desta sexta-feira (2), em São Paulo, a indicação da presidente Dilma Rousseff como candidata à reeleição pelo partido. A oficialização da candidatura se dará somente em junho, na convenção nacional do PT.

    No evento, petistas buscaram esvaziar o chamado movimento “Volta Lula”, cujo objetivo era substituir a candidatura de Dilma pela do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

    Os dois entraram juntos no auditório do centro de convenções do Anhembi e foram recepcionados pela plateia de cerca de 800 delegados do PT sob aplausos e aos gritos de “Um, dois, três, Dilma outra vez”.

    A presidente Dilma Rousseff disse ao começar a discursar que o lançamento de sua pré-candidatura à eleição de outubro é uma “prova” da confiança mútua entre ela e o ex-presidente Lula.

    “Hoje, para receber a missão honrosa, a missão desafiadora de ser pré-candidata do PT à Presidência da República, dirijo à nossa liderança, a você presidente Lula, as minhas palavras de respeito e carinho. Esta é uma prova contundente da nossa confiança mútua e dos laços que nos uniram e nos unem ao povo brasileiro. Foi o compromisso com o povo brasileiro que nos uniu”, afirmou.

    Ela disse que assumiu a missão “desafiadora” de ser candidata à reeleição e fez uma retrospectiva de seu governo, dizendo que enfrenta o desafio de suceder uma “lenda”, referindo-se a Lula. “Eu tive uma tarefa fantástica, uma tarefa que a gente pode chamar de avassaladoramente forte, hercúlea, de suceder [o ex-presidente Lula]”, afirmou.

    A presidente disse que o momento é de avançar com reformas e defendeu, em especial, a reforma politica. “Essa nova campanha na qual me colocaram como candidata exige que coloquemos como estratégica a reforma politica.” A presidente também fez referência à corrupção e disse que os governos do PT foram os que mais combateram o problema. “Antes, varria-se tudo para baixo do tapete”, declarou.

    Dilma também se referiu às críticas que recebeu dos adversários Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) pelo pronunciamento do Dia do Trabalho, no qual anunciou reajuste de 10% em benefícios do programa Bolsa Família.

    “Eu quero informar uma coisa a vocês para que não fiquem dúvidas levantadas pela oposição a respeito do Bolsa Familia, já que só pensam no Bolsa Familia em momentos eleitorais. Fora dos momentos eleitorais, o Bolsa Família não existe. Vou lembrá-los que nos últimos três anos e quatro meses implantamos seis grandes melhorias no Bolsa Familia que elevaram o beneficio, descontada a inflação, em 44,3%”, declarou.

    Lula
    Ao discursar, antes de Dilma, Lula afirmou que é preciso “parar de imaginar que existe outro candidato” do partido à eleição presidencial de outubro “que não a presidente Dilma Rousseff”. “Quando a gente brinca com isso os adversários aproveitam. Não podemos gastar energia com coisa secundária. Não teremos campanha fácil”, afirmou.

    Ele disse que, a partir de julho, estará “por conta da campanha” eleitoral. “Temos um pequeno problema para resolver que é o seguinte: a Dilma, por conta dos acordos da aliança, ela não vai poder ir a vários lugares. Eu não sou presidente do PT. Então, não estou subordinado aos acordos que o Rui Falcão [presidente da sigla] fez. Aonde tiver candidato do PT, eu estarei lá”, disse.

    Segundo o ex-presidente, há uma “perseguição” ao PT. Segundo ele, “parece que há uma coisa pessoal” contra o ex-ministro José Dirceu, os ex-deputados José Genoino e João Paulo Cunha e o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, presos devido a condenações no julgamento do processo do mensalão.

    “Mas o dado concreto é que enquanto as pessoas se preocupam em todo dia tentar veicular notícia sobre nossos companheiros presos, o mensalão mineiro voltou para BH e ninguém comenta”, declarou.

    Lula elogiou o pronunciamento de 1º de Maio de Dilma em cadeia nacional de rádio e TV em que ela anunciou de 10% do Bolsa Família e correção da tabela do imposto de renda.

    “Acho que os trabalhadores e o PT estavam precisando ouvir esse discurso. O discurso teve tanta repercussão que nossos adversários e parte da imprensa ficaram muito nervosos. Portanto, querida, faça mais”, disse.

    Ele também criticou as tentativas de criação de uma CPI para investigar denúncias envolvendo a Petrobras.

    “Não é possível a gente aceitar gratuitamente a tentativa da elite brasileira de tentar destruir a imagem da empresa que durante tantos anos é motivo de orgulho do nosso povo, que é a Petrobras. Sempre em época de eleições chega alguém com bilhetinho querendo criar CPI. A impressão que eu tenho é que tem gente querendo fazer caixa em época de campanha ameaçando a Petrobras.”

    O ex-presidente também aproveitou o discurso para criticar a imprensa e defender a aprovação de um marco regulatório da mídia.
    “Temos que discutir marco regulatório para democratizar os meios de comunicação. O que causa preocupação é que o principal partido de oposição à vossa excelência [presidente Dilma] é a nossa gloriosa imprensa”, disse.

    O ex-presidente encerrou o discurso dizendo: “Dilminha, se me permite chamar assim. É só você preparar a agenda que o Lulinha estará junto com você para ganhar as eleições!”, disse.

    Publicado por jagostinho @ 11:13



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

4 Respostas

WP_Cloudy
  • miriam 11 Disse:

    Enquanto os trabalhadores deste país, ou seja a classe média odiada por Marilena Chauí ganhou 6% de aumento, o bolsa família 10%, bem , em outras palavras quem trabalha se explode! E quem depende não se arrepende.

  • miriam 11 Disse:

    Quero ver esse Pt sair do poder e morar em Cuba , cujo país já possui uma sílaba que é palavrão.

  • miriam 11 Disse:

    Hoje estou bandida. Quando vejo o noticiário de que gangsters dirigem meu país , sim gangster foi palavra utilizada por uma ex petista que se envergonha da maneira como seus antigos aliados subiram ao poder . Venderam-se barato ,que droga! Saquearam nosso dinheiro e nossa dignidade. Saquearam nossas esperanças .Trouxeram médicos para atuar em longínquos destinos com o intuito de divulgar a ditadura, sucatearam a saúde e a educação. Enganaram nosso povo por anos ,e, continuam a enganar com Copa . Deram voz a uma desequilibrada que se diz filósofa e que odeia a classe média. Ora , professores, advogados, engenheiros, comerciantes, agricultores, são classe média e carregam este país nas costas com cifose e lordose governamental. É desanimador ver que a Petrobrás serviu de lavagem de dinheiro a uma turma oportunista e sem respeito pelo seu sangue, seu povo. Isso aqui virou Sodoma, e nós , médios pagantes de impostos somos os maiores sofredores . Queremos dignidade, respeito ao nosso dinheiro, esperança aos brasileirinhos que estão chegando sem saber ainda o preço de uma vida aqui no Brasil. FORA PT , CHEGA DE PERDA TOTAL, CHEGA DE NOS ROUBAR NA CARA, CHEGA DE VENDER A IMAGEM DE UM POVO SEM CARÁTER.CHEGA DE ENCHEREM SEUS COFRES E ESVAZIAREM OS NOSSOS E CHEGA DE MENTIRAS ARTICULADAS A UM PREÇO MUITO ALTO AOS NOSSOS BOLSOS.

  • Antonio Disse:

    Bom dia, se não nos mobilizarmos irmanados na tentativa de mudar este quadro mórbido de política administrativa que vivemos, a vaca que já esta no brejo, se atola. Pensar também é um exercício de cidadania; pense, haja converse com seus amigos,vizinhos,parentes. O objetivo é o cumprimento absoluto da Constituição. Um abraço.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.