Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 14maio

    RADAR ON-LINE/LAURO JARDIM/VEJA.COM

     

    Velho conhecido

    Velho companheiro

    Lembra dele?

    A defesa de José Dirceu apelará à Comissão Interamericana de Direitos Humanos – braço da Organização dos Estados Americanos (OEA) – contra a mão firme de Joaquim Barbosa.

    O pleito de Dirceu, então, deverá passar pelos arredores de um velho conhecido: Paulo Vannuchi, com quem trabalhou durante a primeira campanha vitoriosa do PT ao Palácio do Planalto.

    Vannuchi era o secretário-executivo do comitê central da campanha de Lula em 2002, sob a coordenação de Dirceu. A dupla, inclusive, por pouco não foi colega na Esplanada.

    Dirceu acabou atropelado pelas denúncias do mensalão e deixou a Casa Civil em meados de 2005.

    No final do mesmo ano, Vannuchi assumiu a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. 

    Hoje, aparece na diretoria do Instituto Lula.

    Embora Vannuchi seja impedido de votar ou participar das apurações, por se tratar de um caso envolvendo um brasileiro, ao menos um dos sete integrantes da comissão conhece a fundo a história de Dirceu e tem total acesso aos colegas – para o bem ou para o mal.

     

    Sem nome

    Planalto: espionagem na pauta

    Planalto: sem embaixador indicado à OEA

    A propósito, ao contrário dos advogados de José Dirceu, o governo Dilma Rousseff não parece dar lá muita importância à Organização dos Estados Americanos (OEA).

    O Palácio do Planalto não indicou embaixador algum para assumir a cadeira de comandante da delegação brasileira na OEA, que ficou vaga em 2012.

    Desde então, temporariamente, o posto vem sendo ocupado por um representante do segundo escalão, um encarregado de negócios.

     

    Marcando posição

    Efeito Marina SIlva

    Clima piorou

    O volume de faíscas na relação de Aécio Neves e Eduardo Campos só aumenta. A turma de Campos, sabendo que precisa de parte do eleitorado tucano para ir ao segundo turno, continuará esticando a corda.

    O próprio Eduardo Campos anda incomodado com a estratégia de Aécio em polarizar, ou seja, insistindo no discurso de que de um lado há o PT, do outro, a oposição – como se fosse uma coisa só. Não por acaso.

    Aécio é quem tem a imagem de oposicionista – e está à frente de Campos nas pesquisas. O primeiro round está em curso.

    Beto Albuquerque, homem de confiança de Eduardo Campos na Câmara, deixa clara a posição para o embate, em tom enfático:

    – Não venham como essa de que somos iguais. O DNA é bem diferente, tanto é que Eduardo e Aécio nunca ocuparam um mesmo palanque nacional, desde a campanha das “Diretas”.

    E é só o começo…

    Publicado por jagostinho @ 16:39



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.