Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 23maio

    G1 -PR

    Calçada fica entre a Avenida Sete de Setembro e a Rua Bento Viana  (Foto: Larissa Markowicz / Arquivo pessoal )

    Calçada fica entre a Avenida Sete de Setembro e a Rua Bento Viana (Foto: Larissa Markowicz / Arquivo pessoal )

    A leitora e arquiteta Larissa Markowicz reclama de uma das obras da Via Calma na Avenida Sete de Setembro, em Curitiba, esquina com a Rua Bento Viana.

    Segundo ela, o local se tornou perigoso porque tem um espaço elevado no meio da calçada. “Como eu sou arquiteta, sei quais são as leis e normas da prefeitura.

    Eles simplesmente não estão cumprindo a própria determinação”, argumenta Larissa.

    Ela disse ainda que as duas calçadas [a antiga e a atual] não deveriam ter um plano elevado e que, se tivesse, deveria ser menor para evitar acidentes. “Muito menos um degrau bem no meio das calçadas”, reclama. 

    A Via Calma faz parte das obras de melhorias para a Copa do Mundo em Curitiba.

    O trecho de reformas tem 2,8 quilômetros de extensão e fica entre a Rua Mariano Torres e a Praça do Japão, na região central. O espaço permite que os ciclistas transitem exclusivamente pelo lado direito da via, sobre área demarcada em linha tracejada.

    A velocidade máxima permitida para carros e motos é de 30 km por hora. As obras devem ser concluídas na próxima semana, segundo a prefeitura.

    O morador Aristides Pereira de Oliveira Neto também não concorda com a construção. 

    “Eu achei bacana a ideia da reforma, mas parece que eles [a prefeitura] não pensaram muito em acessibilidade”, declara o morador. O acidente ocorreu quando Aristides utilizava a via para ciclistas do trecho.

    “Eu esqueci do meio-fio e caí com a bicicleta quando tentava entrar no meu prédio”, conta.

    “Eu acho que se aconteceu comigo, pode acontecer com outras pessoas”, acrescenta. Aristides também relatou que não há acesso prático para os cadeirantes no trecho de reforma.

    Procurada pelo G1, a Prefeitura de Curitiba afirmou que não há erro de execução no projeto da calçada.

    “As obras seguiram as orientações do projeto do IPPUC que, inclusive fez a adequação da calçada seguindo normas de acessibilidade. A calçada que está acima do nível é de propriedade particular. O chamado ‘meio-fio’ foi uma contenção feita na área do Município para calçar o ‘petit-pavet’ da área que não é de responsabilidade da Prefeitura”, diz a nota.

    *****

    COMENTÁRIO:-  Então tá ! A responsabilidade é do CHUNDA !!!! Né, Fruet ?

    Vergonha !!!!

    Publicado por jagostinho @ 10:28



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.