Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 30jul

    ESTADÃO

    Conta da Eletropaulo e calculadora

    Conta de luz: há expectativa de alta, mas impacto pode ser mitigado, diz diretor da Aneel (Itaci Batista/Estadão Conteúdo/VEJA)

    O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Romeu Rufino, disse nesta terça-feira que o impacto do empréstimo dos bancos paras distribuidoras será de 8 pontos porcentuais na tarifa de energia.

    Esse aumento será repassado à conta de luz dos consumidores a partir de 2015 e permanecerá na tarifa por dois anos.

    “O reajuste leva em consideração um conjunto de fatores, mas podemos dizer que o empréstimo terá um impacto no reajuste dessa ordem de grandeza (8 pontos porcentuais)”, afirmou Rufino.

    Segundo o diretor, esse aumento será tratado como um componente financeiro, que entrará na tarifa em 2015, permanecerá por dois anos, até 2017, e será retirado ao final desse período.

    O início do repasse dependerá da data do reajuste tarifário anual de cada distribuidora. O diretor-geral tentou voltar atrás no tamanho do impacto ao afirmou que outros fatores podem ajudar a mitigar a alta, de forma a reduzir o valor do reajuste de 2015.

    “Não estou querendo dizer que o reajuste no ano que vem será de 8%, pois o reajuste leva em consideração outros fatores”, acrescentou.

    A devolução à União das usinas da Cesp, Cemig e Copel, que geram cerca de 5 mil MW médios, deve contribuir para reduzir o aumento, pois o valor cobrado pela energia dessas usinas na conta de luz será bem menor.

    Segundo Rufino, essa devolução terá um impacto “bastante relevante” e será capaz de “neutralizar, em grande parte, se não na totalidade, o impacto do empréstimo.”

    Ainda de acordo com ele, um regime de chuvas mais favorável pode contribuir para reduzir o valor da energia no mercado de curto prazo, o que ajuda a reduzir o patamar dos reajustes.

    O financiamento feito pelo consórcio de bancos e intermediado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) deve totalizar 17,7 bilhões de reais para as empresas.

    Desse total, 11,2 bilhões de reais já foram repassados e outros 6,5 bilhões de reais devem  ser liberados até o fim de agosto.

    Publicado por jagostinho @ 14:37



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.