Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 31jul

    TRIBUNA DO PARANÁ

    CADÊ O BUZÃO ?

    BUZÃO

     

    Quem mora no Conjunto Marselha, na Cidade Industrial de Curitiba, está na bronca com a falta de ônibus na região.

    A Urbs garante que ninguém anda mais de quinhentos metros para encontrar uma parada de coletivo na capital.

    Mas na região, os moradores que dependem do transporte público precisam caminhar em média cerca de um quilômetro para chegar aos pontos de ônibus na Rua João Dembinski.

    A situação é mais complicada para quem vive ou trabalha nas ruas Angelo Rossa e Juvino Ransolim.

    As linhas que passam por lá, como Interbairros IV, Fazendinha/Campo Comprido, Campo Comprido/Capão Raso e Vila Sandra, não fazem qualquer desvio para atender essa população.

    Por lá, o pessoal tem que encarar uma longa subida para chegar ao ponto mais próximo.

    O comerciante José Morais é dono de um pequeno armazém há oito anos no local. Ele conta que a falta de transporte público na localidade é uma reclamação antiga.

    “Há muito tempo reivindicamos que um ônibus passe por aqui para apanhar as pessoas. Mas nunca resolveram nada”, conta.

    Morais afirma que muitos moradores reclamam da situação enquanto fazem compras em seu estabelecimento.

    “Volta e meia tem cliente reclamando que o filho precisa caminhar muito pra pegar o ônibus ou que a diarista demora pra chagar por causa da longa distância entre o ponto e a casa. A reclamação é geral”, relata.

    A auxiliar de serviços Rosana Régis de Oliveira é moradora do Conjunto Marselha há quatro anos e afirma que já se acostumou com a subida da Rua Angelo Rossa.

    “Não tem o que fazer, né? O jeito é encarar todo dia esses 700 metros de subida. E pior que não tem outro caminho. Se eu for pela Rua Juvino Ransolim também tenho que andar muito, pelo menos uns 900 metros”, explica.

    Segundo a vizinhança, a prefeitura de Curitiba já realizou alguns testes na região, mas até agora nada aconteceu.

    “Já vimos vários técnicos passando por aqui, medindo a pista e fazendo várias a anotações. Porém, nunca vimos um ônibus sequer passar pela nossa vila”, completa Rosana.

    Sem previsão

    Por meio da assessoria de imprensa, a Urbs informou que um estudo para passagem de uma linha de ônibus pela região já foi realizado e aprovado.

    No entanto, o órgão afirma que aguarda a execução de uma obra de adaptação de pista na Rua João Dembinski para a implementação da linha.

    Já a prefeitura de Curitiba diz que a execução da obra depende de negociações com moradores da rua, já que partes de alguns imóveis particulares precisam ser utilizadas para o alargamento da pista.

    A obra seria necessária por questões de segurança, pois atualmente há trechos com pouca visibilidade, que poderiam causar acidentes.

    Segundo a prefeitura, até ontem ainda não havia registro de nenhuma solicitação formal sobre o problema.

    A administração municipal pede que a população protocole a solicitação, o que pode ser feito pelo telefone, através da central 156, pela internet (www.central156.org.br) ou diretamente no escritório da Administração Reginal da CIC, na Rua Manoel Valdomiro de Macedo, 2.460.

    Publicado por jagostinho @ 13:56



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.