Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 02ago

    TRIBUNA DO PARANÁ

    LINHA DO PERIGO

    Trabalhadores e moradores da região levam até 20 minutos pra atravessar a rodovia. Obras só devem começar em dezembro de 2015. Foto: Gerson Klaina

    Atravessar a Linha Verde próximo ao entroncamento com a Rua João Chede, na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), tem gerado risco para quem mora e trabalha na região.

    Esse trecho, que ainda não foi urbanizado, não conta com qualquer redutor de velocidade para facilitar a travessia. A passarela mais próxima fica a um quilômetro de distância.

    Diante da situação, as pessoas que transitam pelo local diariamente são obrigadas a encarar o perigo para conseguir chegar do outro lado da pista.

    O empresário Fábio Pessaia trabalha na região e conta que diariamente vê trabalhadores e moradores do bairro sofrendo para atravessar a Linha Verde.

    “Tem gente que leva uns 15 ou 20 minutos pra atravessar. Eu atravesso pouco, mas nas vezes que tenho que ir, espero o semáforo lá do Pinheirinho fechar. Tem que ter paciência. Se não tiver, vai correr riscos por aqui. E não é fácil”, diz. O frentista Luiz Carlos Gehlen trabalha num posto de combustível em frente ao trecho crítico.

    Ele conta que no final da tarde o movimento de pedestres na região é muito grande e a situação fica tensa.

    “Tem muitos trabalhadores saindo serviço e correndo pra chegar a tempo no ponto de ônibus. Aí a coisa fica séria e quase todo dia vemos cenas perigosas, com gente se arriscando muito pra não perder o ônibus”, alerta.

    Edson Ferreira é motorista de caminhão e costuma trafegar pela Linha Verde todos os dias. Ele conta que o trecho em que a via corta a CIC é sem dúvida o mais perigoso.

    “É o único ponto onde não tem semáforo ou passarela. Além disso, não mudaram nada por lá. Tem muito mato e o asfalto é ruim. E como nesse ponto tem muita gente atravessando, ele se torna muito perigoso, pela falta de estrutura”, afirma. A leitora Patrícia Dorst foi quem denunciou a situação na região. Ela conta que diariamente atravessa esse trecho da Linha Verde.

    “Arrisco a vida todo dia e, como isso é difícil e os carros são muitos e não respeitam os pedestres, o transito não para. Já cheguei a ficar 15 minutos no canteiro esperando para poder atravessar. É irritante. Já perdi vários ônibus por ficar esperando os carros passarem, se tivesse uma passarela facilitaria muito para nós, pedestres”, relata.

    Vai demorar

    A Secretaria Municipal de Trânsito (Setran) informou que já existe um projeto pronto para este trecho da Linha Verde, que faz parte do pacote do PAC2 Mobilidade, com orçamento viabilizado junto ao governo federal.

    Está prevista a construção de uma trincheira na região citada pelos entrevistados.

    Porém, segundo o Ippuc, o início da obra na Linha Verde está previsto somente para dezembro de 2015.

    Publicado por jagostinho @ 12:11



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.