Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 03ago

    VEJA.COM/Marcela Mattos, de Porto Alegre

    O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, faz campanha em Porto Alegre (RS) ao lado da senadora Ana Amélia Lemos (PP), que disputa o governo gaúcho

    O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, faz campanha em Porto Alegre (RS) ao lado da senadora Ana Amélia Lemos (PP), que disputa o governo gaúcho (Vinicius Costa/Agência Preview/Folhapress)

    O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, voltou a cobrar neste sábado que a presidente-candidata Dilma Rousseff deixe o gabinete oficial e saia às ruas para conhecer as demandas da população.

    “Eu não sei o resultado da eleição, mas, independentemente disso, eu vou fazer uma campanha nas ruas, olhando para as pessoas. Já a presidente está sitiada”, disse o senador tucano.

    “Dilma não consegue fazer nenhum evento que não seja previamente programado, sob os olhos de todo tipo de seguranças, inclusive misturando o público e o privado”, continuou.

    Neste sábado, Aécio participou do primeiro ato de campanha no Rio Grande do Sul, em um evento em Porto Alegre que reuniu cerca de 6.000 militantes tucanos.

    Além de Porto Alegre, Aécio esteve nesta semana em Brasília, Belo Horizonte e Curitiba. Ao lado do governador de São Paulo, ele fará uma caminhada neste domingo em São José dos Campos, no interior do Estado.

    No Sul, Aécio fez campanha ao lado da senadora Ana Amélia Lemos (PP), candidata ao governo gaúcho.

    O vice na chapa dela, Cassiá Carpes (SD), criticou Dilma: “A presidente não tem coragem de fazer o que o Aécio fez aqui. Ela tem vergonha de andar no meio do povo, mas anda junto no meio desses ladrões do povo”.

    “É por isso que nós acreditamos em Aécio, em uma expectativa nova de poder e, principalmente, de uma nova oportunidade para o trabalhador brasileiro, que ouviu muitas promessas do PT não cumpridas”.

    Aos gaúchos, Aécio defendeu que o Brasil volte a investir no empreendedorismo e amplie sua participação no comércio internacional.

    Para o senador tucano, o país vive um “atrasado alinhamento ideológico” ao retardar negociações com a União Europeia e priorizar países como a Argentina e a Venezuela.

    “Nós não podemos estar permanentemente amarrados às conveniências de todos os países do bloco do Mercosul. Uma flexibilização nas regras necessariamente terá de ser discutidas”, afirmou.

    “O período de eleição será favorável à retomada do diálogo com outros países do mundo. O Brasil cada vez mais vem reduzindo sua participação no comércio internacional”.

    “Seremos o último na América do Sul em crescimento. Esse é sim um quadro perverso da herança maldita que o governo deixará ao seu sucessor”, disse o tucano.

    Publicado por jagostinho @ 14:28



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.