Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 15ago
    FOLHA.COM
     
    O atual governador Beto Richa (PSDB) e o ex-governador Roberto Requião (PMDB) dividem a liderança na corrida pelo governo do Paraná, mostra pesquisa Datafolha concluída nesta quarta-feira (13).
     
    Richa está à frente de Requião: tem 39% das intenções de voto, contra 33% do peemedebista.
     
    Considerando a margem de erro, porém, de três pontos percentuais para mais ou para menos, os dois estão tecnicamente empatados.
     
    Em terceiro lugar aparece Gleisi Hoffmann (PT), com 11%.
     
    Bernardo Piloto (PSOL) e Ogier Buchi (PRP) têm 1% cada.
     
    Túlio Bandeira (PTC), Geonísio Marinho (PRTB) e Rodrigo Tomazini (PSTU) não alcançaram 1%.
     
    Os indecisos somam 10%, e brancos ou nulos, 5%.
     
    O levantamento foi realizado entre terça e quinta-feira, com 1.226 entrevistas em 46 cidades do Paraná.
     
    Com a liderança ameaçada pelo ex-governador, Richa elegeu Requião como seu principal alvo neste início de campanha, deixando de lado a petista Gleisi.
     
    O tucano vem afirmando que tem “várias balas de prata” contra Requião, que foi seu antecessor e governou o Estado entre 2003 e 2010. Em seus discursos, fala da “truculência” e da “falta de diálogo” do peemedebista, conhecido pela contundência de opiniões.

    Porém, ainda que com alta rejeição (de 27%, segundo o Datafolha), Requião vem ganhando votos de eleitores insatisfeitos com o governo Richa, que passou por dificuldades financeiras e congelou obras e promoções de servidores.

    O candidato do PMDB tem dito que vai fazer o Paraná “voltar a ter governo”, e chama Richa de “preguiçoso” e de “garoto bronzeado”.

    Pela língua afiada, tem conquistado eleitores descrentes com a gestão do tucano.

    Hoje, a rejeição de Richa já se iguala à de Requião, considerada a margem de erro: 23% dos entrevistados não votariam nele de jeito nenhum.

    Sua gestão é aprovada por 48% dos eleitores –bem menos do que os 84% de aprovação que tinha quando prefeito de Curitiba, no final de 2009, pouco antes de deixar o cargo para disputar a eleição para o governo.

    Requião entrou repentinamente na eleição deste ano. O PMDB estava dividido entre apoiar Richa ou lançar Requião.

    A vitória do senador na convenção, no final de junho, foi considerada surpreendente.

    Com eleitorado cativo e a capilaridade do PMDB, um dos maiores partidos do Estado, Requião desequilibrou o jogo eleitoral, antes mais favorável ao tucano.

    Gleisi, com uma campanha bastante estruturada e forte apoio financeiro do PT, tenta decolar apostando no “novo”.

    Sua equipe quer promover sua proximidade com a presidente Dilma, de quem foi ministra, e o fato de ser mulher.

    Ainda assim, a senadora precisa enfrentar a tradicional resistência ao PT do eleitorado paranaense.

    Nas últimas duas eleições presidenciais, os candidatos tucanos à Presidência venceram os petistas no Paraná.

      Editoria de Arte/Folhapress  

    SENADO

    Na corrida ao Senado, o candidato Álvaro Dias (PSDB) lidera de longe as intenções de voto, com 57%.

    O segundo colocado, Ricardo Gomyde (PCdoB), candidato da chapa de Gleisi, tem 4%.

    Depois, aparecem Marcelo Almeida (PMDB) e Professor Piva (PSOL), com 3%.

    Mauri Viana (PRP) tem 2% das intenções de voto.

    Luiz Barbara (PTC) e Adilson Senador da Família (PRTB), 1% cada.

    Os indecisos somam 19%. Brancos ou nulos, 10%.

    A pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral sob o número PR-00014/2014. 

     



    Publicado por jagostinho @ 02:51



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.