Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 21ago

    UCHO.INFO

    (*) Carlos Brickmann –

    carlos_brickmann_11Dilma Rousseff e Lula estavam irritadíssimos com Eduardo Campos, por se considerarem abandonados, por acharem que sua presença, no importante celeiro de votos petistas do Nordeste, aumentava as probabilidades de um arriscado segundo turno.

    Aécio Neves queria que o candidato do PSB, com esquálidas intenções de voto, crescesse mais, para levar as eleições ao segundo turno.

    Com a morte de Eduardo Campos, sumiu do horizonte petista o aliado que os abandonara, o perigoso candidato que dividiria o voto nordestino com que Dilma conta.

    E sumiu do horizonte tucano a possibilidade de não haver segundo turno.

    Em troca da realização dos sonhos dos dois maiores candidatos, caiu sobre eles o tsunami Marina Silva: nas primeiras pesquisas, empate técnico com Aécio Neves no primeiro turno, empate técnico com Dilma no segundo.

    Tudo bem, são as primeiras pesquisas, ainda realizadas sob o impacto emocional da morte trágica de Eduardo Campos.

    Mas alarmaram os adversários: Marina já virou o alvo favorito de ambos.

    O PT a acusa de ser a candidata dos bancos e dos empresários (na verdade, de uma das sócias de um banco e de um empresário de porte).

    O PSDB relembra as brigas de Marina com o agronegócio. Aécio, que tratava Eduardo Campos com carinho (precisaria de seu apoio no segundo turno), está mais duro: acha que Marina, se ficar fora da disputa, irá declarar-se neutra. É possível.

    O título desta coluna é um provérbio judaico. A frase final é um provérbio grego: os deuses, quando querem destruir os homens, atendem a seus desejos.

    *****

    (*) Carlos Brickmann é jornalista e consultor de comunicação. Diretor da Brickmann & Associados, foi colunista, editor-chefe e editor responsável da Folha da Tarde; diretor de telejornalismo da Rede Bandeirantes; repórter especial, editor de Economia, editor de Internacional da Folha de S. Paulo; secretário de Redação e editor da Revista Visão; repórter especial, editor de Internacional, de Política e de Nacional do Jornal da Tarde.

    Publicado por jagostinho @ 16:08



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.