Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 03out

    REQUIÃO 15 GOVERNADOR

    Ao denunciar um crime eleitoral contra o governador, Maurício Requião recebeu voz de prisão por invasão de propriedade.

    crimeOficiais de Justiça flagraram na tarde desta quinta-feira, dia 2, material de campanha que denigre a imagem dos senadores Roberto Requião (PMDB) e Gleisi Hoffmann (PT).

    O local era usado para construir cavaletes e placas para a campanha de reeleição do governador Beto Richa.

    Um dos coordenadores da campanha de Requião, seu irmão Maurício Requião, e o deputado federal Dr. Rosinha receberam uma denúncia anônima.

    Ao chegar ao local, constataram material de campanha contra os dois adversários políticos de Richa.

    “Recebemos diversas fotografias denunciando material contra o Requião e a Gleisi.

    Chegando aqui, vimos uma Kombi com jornais contra o Requião. Nossa sensação foi que estavam tentando esvaziar o depósito. A porta estava aberta e entramos. Imediatamente identificamos que esse local era realmente o depósito onde as fotografias indicavam”, disse Maurício Requião.

    Maurício Requião acionou a Justiça Eleitoral e as Polícias Federal e Militar. “Embora a gente tivesse pedido providências urgentes, ainda havia fogo. O oficial de Justiça registrou em sua ata ter encontrado materiais clandestinos em fase de decomposição pelo fogo. Eram materiais que têm busca e apreensão, portanto não deveriam ter sido guardados nem distribuídos”, disse.

    Mas quem chegou foi a Polícia Militar. Em peso. Em menos de uma hora, seis viaturas da Polícia Militar e do Cope isolaram o local e não deixaram ninguém entrar ou sair.

    Cada viatura trazia um militar de patente superior. As pessoas que ficaram no estacionamento do barracão foram obrigadas a assinar um documento de envolvimento e, segundo os policiais, serão obrigadas a prestar depoimento.

    Apesar de terem flagrado um crime eleitoral, o ex-secretário de Educação do Paraná Maurício Requião e mais três pessoas receberam voz de prisão da tenente Danuza, que estava até então no comando da operação.

    “Ela estava visivelmente constrangida, mas disse que recebeu telefonema do secretário de segurança e que ele pedia a prisão de nós três”, revelou.

    Sobre o local Maurício Requião fez ainda outra revelação.

    “Essa é uma fábrica de placas. Tinham mais de 40 funcionários trabalhando. Consultamos esses funcionários e ninguém tem contrato. Isso é fábrica de caixa 2. Queremos saber quem é o criminoso que é o proprietário dessa área, quem é o responsável por essa área, quem são as pessoas?”, contou.

    Versão da Polícia – O tenente-coronel Carlos Assunção, da Polícia Militar, deu outra versão para o fato.

    “A polícia foi acionada por denúncia de invasão a domicílio. São cerca de 10 pessoas que precisarão comparecer no momento oportuno à Justiça”, disse.

    Ele ainda negou que houve a voz de prisão, ao contrário do que comprovam várias testemunhas e um vídeo gravado.

    “Não, de fato não houve”, respondeu o tenente-coronel Assunção.

    Assista os vídeos:

    http://youtu.be/dUvRM5x8pBY
    http://youtu.be/sLP3rG7Q38c
    http://youtu.be/WqtEZ4YSCVQ

    Veja as algumas fotos:

    Publicado por jagostinho @ 14:51



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.