Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 07out

    FOLHA.COM

    O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso iniciou nesta segunda-feira (6) uma ofensiva por telefone para conquistar o apoio de Marina Silva à candidatura de Aécio Neves (PSDB) no segundo turno das eleições.

    FHC e representantes da cúpula tucana já procuraram interlocutores da ex-senadora para fazer a ponte que resultará na aliança eleitoral contra a presidenteDilma Rousseff (PT).

    Fora do segundo turno, Marina telefonou na manhã desta segunda para Dilma e Aécio, candidatos que seguem na disputa pelo Palácio do Planalto, para parabenizá-los pelo desempenho na campanha, mas não tratou de apoio com nenhum dos adversários.

    A pessebista reuniu nesta manhã em São Paulo seus principais interlocutores para traçar as estratégias para os próximos dias. Na noite desta terça-feira (7), haverá uma reunião da Rede para definir a posição do grupo político de Marina.

    O PSB fará um encontro separadamente e a decisão deve ser anunciada até a quinta-feira (9).

    Apesar da inclinação de Marina por Aécio, o presidente nacional da sigla, Roberto Amaral, defende o apoio a Dilma.

    De acordo com aliados, a ex-senadora está atenta ouvindo pessoalmente as opiniões de Bazileu Margarido, Neca Setúbal, Pedro Ivo, João Paulo Capobianco e Walter Feldman mas já indicou que, caso não haja consenso entre Rede e PSB, definirá seu posicionamento individualmente.

    Amaral e o vice de Marina, Beto Albuquerque (PSB), devem chegar para o fim da reunião. Albuquerque defende apoio ao PSDB no segundo turno.

    Marina quer que pontos de seu programa de governo sejam incorporados à candidatura neoaliada.

    Sustentabilidade, comprometimento com o fim da reeleição e a manutenção das conquistas dos últimos anos, incluindo os programas sociais do PT, figuram na lista dos principais itens.

    PETISTAS

    Interlocutores de Marina afirmam que também foram procurados por petistas.

    No entanto, Marina está bastante magoada com a campanha que o PT lançou contra ela desde o início de setembro, em que investiu na desconstrução da imagem de “nova política”.

    A ex-senadora deixou claro, inclusive publicamente, que não deve estar com Dilma no segundo turno.

    Em seu primeiro pronunciamento após o resultado das eleições, na noite do domingo (5), Marina disse que o Brasil “sinalizou claramente que não concorda com o que está aí”. 

    Adriano Vizoni – 27.set.2011/Folhapress
    Fernando Henrique Cardoso e Marina Silva durante debate sobre o Código Florestal, realizado no Instituto FHC, em setembro de 2011
    FHC e Marina Silva durante debate sobre o Código Florestal, realizado no Instituto FHC

    Publicado por jagostinho @ 15:46



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.