Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 21out

    Laura Gelbert
    Da Rádio ONU, em Nova York

    • Shutterstock

      Cigarro: aumentar impostos e preço ainda é forma mais efetiva de reduzir consumo, diz especialista

      Cigarro: aumentar impostos e preço ainda é forma mais efetiva de reduzir consumo, diz especialista

    As doenças relacionadas ao tabaco causam 6 milhões de mortes ao ano em todo o mundo. A informação foi dada pela consultora da Organização Mundial da Saúde, OMS, Stella Bialous.

    A especialista falou à Rádio ONU, de Moscou, onde acontece até sábado a 6ª Sessão da Conferência das Partes para a Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco.

    Globalização

    O tratado foi adotado em 2003 e entrou em vigor em 2005.

    “Foi o primeiro tratado das Nações Unidas negociado pela Organização Mundial da Saúde. [A adoção] foi motivada por um aumento muito significativo, muito grande, no número de mortes no mundo por doenças relacionadas ao tabaco”.

    “Hoje em dia são 6 milhões de mortes ao ano ao redor do mundo e um aumento muito grande da penetração da indústria do tabaco em países de rendas média e baixa”.

    “Então, se chegou à conclusão que com a globalização precisava-se também de uma medida globalizada para combater essa epidemia.”

    Segundo a especialista, desde sua implementação, há quase dez anos, houve “avanços profundos” na área.

    Stella Bialous afirmou que esta é “uma Convenção das Nações Unidas com número maior e mais rápido de adesões, com quase 180 países”.

    Medidas

    “E a gente vê que vários países que implementaram várias das medidas estão começando a observar uma queda da prevalência de fumo, sobretudo, entre as populações mais jovens”.

    “A gente pode citar, por exemplo, o próprio Brasil, a Austrália, a Turquia, países que estão fazendo grandes avanços implementando estas medidas, como espaços livres de fumo, como restrição ou proibição de propaganda, e outras medidas a mais.”

    A consultora da OMS afirmou ainda que o “aumento de impostos e preços é uma das formas mais efetivas para reduzir o consumo”.

    Ela declarou ainda que na conferência, as partes continuam discutindo uma série de outras medidas, entre elas, o apoio a agricultores que “quiserem trocar da fumicultura para outras alternativas sustentáveis.”

    Publicado por jagostinho @ 18:56



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.