Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 10nov

    FOLHA.COM/LEANDRO COLON – ENVIADO ESPECIAL A BERLIM

    Vinte e cinco anos depois da queda do Muro de Berlim, os alemães reuniram-se novamente nas ruas da cidade, desta vez para derrubar um muro simbólico recriado por cerca de 8.000 balões iluminados que repetiram a divisão da capital durante a Guerra Fria.

    Por volta de 19h20 (16h20, horário de Brasília) deste domingo (9), dia e horário em que o muro começou a ser destruído pela população em 1989, os balões foram soltos.

    Convidados ilustres, o ex-líder soviético Mikhail Gorbachev, 83, e o ex-presidente polonês Lech Walesa, 71, subiram no palco montado no Portão de Brandemburgo para liberar um balão cada um. Ambos ficaram distantes um do outro.

    Michael Dalder/Reuters
    Ex-líder soviético Mikhail Gorbachev participa da celebração dos 25 anos do fim do Muro de Berlim
    Ex-líder soviético Mikhail Gorbachev participa da celebração dos 25 anos do fim do Muro de Berlim

     

    O Portão de Brandemburgo era espécie de zona neutra durante o período de separação da cidade.

    Além da cerimônia dos balões, a área foi palco de concertos ao ar livre, exposições sobre o muro.

    Telões espalhados pela cidade no fim de semana transmitiram a céu aberto documentários sobre a história da divisão do país entre Alemanha Oriental, sob controle dos soviéticos, e Ocidental, aliada das potências capitalistas (Estados Unidos, França e Reino Unido).

    Os balões, um projeto do artista alemão Christopher Bauder, repetiram 15 dos 156 km do Muro de Berlim, construído em 1961 pelos soviéticos para separar de vez a cidade da então Berlim Ocidental.

    Pelo menos 137 alemães morreram tentando atravessá-lo e outros 5 mil conseguiram furar o seu bloqueio.

    Além do Portão de Brandemburgo, os balões percorreram também a região do Check-Point Charlie, barreira controlada pelo lado ocidental, além da East Side Gallery e a rua Bernauer Strasse, que ainda preservam pedaços originais do muro.

    Não só moradores de Berlim participaram da festa. Turistas estrangeiros e alemães de outras regiões do país viajaram até a capital para a celebração.

    Entre eles Markus Lodge, 53, morador de Dortmund, cidade que pertencia à Alemanha Ocidental.

    “Em 1989, assisti pela televisão e precisava pelo menos uma vez na cidade participar de um aniversário da queda do muro aqui em Berlim”, disse.

    O protagonismo político das celebrações ficou com Gorbachev, responsável pelas reformas políticas nos anos 80 que levaram ao fim do comunismo no leste europeu.

    Ele chegou à cidade com o discurso afiado desde sexta-feira (7). No sábado, durante evento no Portão de Brandemburgo, Gorbachev afirmou que o mundo está “à beira de uma nova Guerra Fria”.

    Criticou ainda os Estados Unidos e as potências europeia pelo fracasso no diálogo de conflitos pelo mundo. “A Europa vai se enfraquecer e se tornar irrelevante se isso continuar”, disse.

    Publicado por jagostinho @ 16:41



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.