Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 19nov
    CPI

    ASSESSORIA DE IMPRENSA/DEP. NEY LEPREVOST

    DIRETORA DA SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE REVELA A CPI QUE CURITIBA DEIXOU DE RECEBER 3 MILHÕES POR NÃO APRESENTAR CERTIDÃO NEGATIVA

    Em reunião na manhã desta terça-feira (18/11) na Assembleia Legislativa, a CPI da Saúde Psiquiátrica, presidida pelo deputado Ney Leprevost, ouviu representantes da Secretaria de Estado da Saúde. 

    Questionada pelo relator deputado Felipe Lucas, a superintendente de atenção à saúde da Secretaria, Márcia Huçulak, rebateu as informações sobre a falta de repasses para a cidade dadas pelo diretor de Saúde Mental da Prefeitura de Curitiba Dr. Marcelo Kimati e falou sobre as diversas ações desenvolvidas pelo órgão estadual para o setor. 

    A superintendente lembrou, ainda, que a cidade de Curitiba deixou de receber este ano R$2,8 milhões de recursos do Estado mediante convênio específico para a área, mas a transferência não pode ser realizada porque o município não apresentou as devidas certidões negativas exigidas pela lei.

    Como Curitiba tem gestão plena na área, a Prefeitura é responsável pelo setor e por suas ações. Márcia lembrou que o número de internações apresentado pelo Dr. Kimati, em depoimento a CPI, é bem diferente da realidade, chegando a 68 internações mensais contra as duas informadas anteriormente pelo representante da Prefeitura.

    Ela entregou aos membros da CPI um relatório contendo esses números para análise. 

    Estiveram presentes durante a reunião a coordenadora estadual de Saúde Mental, Rejane Cristina Teixeira Tabuti, o coordenador do Conselho Municipal de Saúde Mental de Curitiba, Luís Felipe Ferro e o chefe do Departamento de Atenção às Condições Crônicas da SESA, Juliano Gevaerd.

    Sobre a CPI

    A CPI da Saúde Psiquiátrica é uma iniciativa do deputado Ney Leprevost criada para investigar as diversas irregularidades da área no Estado do Paraná.

    Foram realizadas oito reuniões até o momento e recebeu  para depor diversos médicos psiquiatras e o diretor do Departamento de Saúde Mental da Prefeitura de Curitiba.

    Entre as principais informações levantadas estão a falta de leitos, o aumento do número de usuários de crack, a falta de medicamentos e a falta de estrutura para atender os pacientes da área. 

    A Comissão apurou que a situação no interior do Estado também é parecida com a capital pois diversas prefeituras estão atendendo em imóvel alugado, falta verba para o atendimento e contam com um número reduzido de profissionais para atender a grande demanda de pacientes.

    A Comissão vai finalizar seus trabalhos em dezembro com o relatório que será entregue ao Ministério Público e encaminhando as autoridades de saúde. 

    “A CPI conseguiu apurar os muitos problemas que o setor está enfrentando. Certos que fizemos nosso trabalho e abrimos a porta para que o setor debata e cobre das autoridades competentes uma solução definitiva para a área.” declara Ney Leprevost.

    Compõem a CPI os deputados Ney Leprevost (Presidente da Comissão), Felipe Lucas (Relator), Luiz Cláudio Romanelli, Stephanes Júnior, Osmar Bertoldi, Tadeu Veneri e Gilson de Souza.

    Os suplentes são: Waldir Pugliesi, Marla Tureck, Duílio Genari, Pedro Lupion, Luciana Rafagnin, Tercílio Turini e Pastor Edson Prazczyk. 

    Publicado por jagostinho @ 12:43



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.