Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 06fev

    GABINETE SENADOR REQUIÃO

    15775290202_c67923a1ce_kEstá no plenário do Senado uma lei complementar de autoria do senador Roberto Requião (PMDB/PR) para ser votada e que protege as micro e pequenas empresas da substituição tributária.

    “Uma substituição que está quebrando micro e pequenas empresas em todo o Brasil”, alertou.

    A substituição tributária é a cobrança antecipada do ICMS. A votação pode ocorrer nesta quinta-feira (05) – se houver quorum – ou na próxima terça-feira (10).

    “Na indústria de bebidas que tem a produção concentrada em algumas empresas e uma distribuição através de milhares de estabelecimentos comerciais a sonegação é realmente muito grande. Então você antecipa a cobrança do ICMS. O imposto é cobrado na origem. Neste caso a substituição tributária é eficiente”, explicou Requião.

    O problema é que também ficou estabelecida a antecipação do pagamento do imposto para pequenas e microempresas, que pagam ICMS reduzido.

    “Esta antecipação está quebrando empresas em todo o Brasil e os governadores não excluem as pequenas e microempresas da cobrança. Queremos sanar este problema”, explicou.

    Pela proposta do senador, as pequenas e microempresas tratadas pelo regime Simples Nacional não podem sofrer uma antecipação de receita acima do valor do imposto que o Simples atribui a elas.

    “No caso do Paraná, por exemplo, a média de imposto sobre uma pequena empresa é de 3% e as microempresas não pagam nada”, lembrou Requião, dizendo que seu projeto garante a manutenção destes comércios, permitindo que eles cresçam e gerem empregos.

    A proposta do senador já passou por todas as Comissões do Senado e teve parecer positivo. Se aprovada no Senado, a lei segue para votação na Câmara dos Deputados.

    Por esta razão, Requião pede que os empresários conversem com seus senadores e deputados para garantir a aprovação desta correção fiscal.

    Simples – O Simples Nacional é um regime compartilhado de arrecadação, cobrança e fiscalização de tributos aplicável às microempresas e empresas de pequeno porte, previsto na Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006.

    Abrange a participação de todos os entes federados (União, Estados, Distrito Federal e Municípios). É administrado por um Comitê Gestor composto por oito integrantes: quatro da Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB), dois dos Estados e do Distrito Federal e dois dos Municípios.

    O que diz o projeto
    – Os produtos ou mercadorias sujeitos à substituição tributária adquiridos por microempresa ou empresa de pequeno porte enquadrada no Simples Nacional, terão incidência do ICMS à alíquota de 3,95%.

    – É assegurado ao contribuinte substituído o direito à compensação automática do valor do imposto pago por força da substituição tributária, correspondente ao fato gerador presumido que não se realizar ou se realizar com base de cálculo inferior à estimada pela Administração Estadual.

    ProjetoICMS

    Publicado por jagostinho @ 10:34



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.