Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 27fev

    TCE PR

    TCE

    Relatório sobre tarifa de ônibus será ampliado, anuncia TCE

    Documento, divulgado em setembro de 2013, foi objeto de pedido de vista pelo conselheiro Ivens Linhares. Motivo é mudança da conjuntura no setor, com fim da integração

    O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) vai ampliar e atualizar o Relatório de Auditoria sobre a tarifa do transporte público em Curitiba. Com votação prevista para a sessão plenária desta quinta-feira (26), o documento foi objeto de pedido de vista por parte do conselheiro Ivens Zschoerper Linhares.

    Vice-presidente da Corte, ele considera necessário reavaliar o estudo à luz dos novos fatos, como a desintegração das linhas que servem a Região Metropolitana de Curitiba.

    O conselheiro se comprometeu a trazer o Relatório novamente à apreciação do Pleno do órgão de controle externo o mais rápido possível.

    Regimentalmente, os membros do colegiado têm até quatro sessões para devolver ao relator – neste caso, o conselheiro Nestor Baptista – um processo sob vista.

    O documento pode ser consultado no portal do TCE na internet (www.tce.pr.gov.br).  Basta seguir o caminho: “Áreas de Atuação”, “Controle Externo”, “Auditorias”, “Auditorias Especiais”.

    Anulação

    Com 253 páginas, o Relatório foi divulgado em setembro de 2013. Resultado de três meses de trabalho – iniciado, portanto, em julho daquele ano – o documento traz uma radiografia das planilhas de custo do transporte coletivo na capital.

    comissão de auditoria, formada por seis servidores do TCE, fez diversas visitas técnicas aos órgãos fiscalizados, inspeções in loco, entrevistas e estudos técnicos.

    Além da Urbs, a equipe de técnicos do TCE auditou o Fundo de Urbanização de Curitiba.

    A Rede Integrada de Transporte da Região Metropolitana foi avaliada quanto à planilha utilizada, o custo por quilômetro, o método empregado na definição de valores, reajustes e subsídios, além da administração dos recursos financeiros.

    Uma das recomendações é de que a licitação que originou os contratos vigentes seja anulada e se realize uma nova concorrência.

    No documento, os técnicos do Tribunal constataram que a tarifa, à época, poderia ser 16,7% menor – ou seja, R$ 2,25, ao invés de R$ 2,70.

    O estudo relaciona 40 irregularidades detectadas nos contratos entre a Prefeitura e as empresas de ônibus, como cartelização, fragilidade da fiscalização do Sistema de Bilhetagem Eletrônica, conflito de interesses entre o direito público (multas) e o privado (lucratividade) e a inadequação do regime celetista dos funcionários ao exercício da fiscalização.



    Publicado por jagostinho @ 13:32



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.