Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 25abr

    <[email protected]>

    Encontro Paraná e VictóriaDurante a abertura do Encontro entre Paraná e Victoria: Educação para a América Latina nesta sexta-feira (24), em Curitiba, o secretário da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Carlos Gomes, destacou a importância da aproximação do Paraná com o estado de Victoria, na Austrália, para o desenvolvimento de parcerias e intercâmbio em áreas estratégicas para os dois estados.

    Foi lançada durante o evento, na Fiep, a publicação Cities for the Future – Programa de Cidades do Pacto Global das Nações Unidas e assinados o Memorando de Entendimento entre o estado do Paraná e de Victoria e uma carta de intenções entre a Victoria University e a PUCPR.

    A vice-governadora Cida Borghetti disse que o Paraná fica honrado em receber a comitiva e estreitar os laços com o estado australiano.

    “O documento aproxima os Governos, as universidades e os setores produtivos dos dois estados. Amplia as condições para a internacionalização das nossas universidades estaduais e, acima de tudo, visa o bem-estar das pessoas. Precisamos atrair pesquisadores e estudantes do mundo inteiro, assim como proporcionar a ida de paranaenses para outros países”, disse.

    Ao apresentar as potencialidades do estado de Victoria, o ministro de Treinamento e Habilidades, Steve Herbert, destacou que Paraná e Victoria têm muitas semelhanças e que ambos os governos primam pela qualidade de vida de seus habitantes.

    Salientou que o acordo de intenções é o início de um trabalho conjunto que deve ser muito produtivo.

    “Consideramos esta parceria muito importante e que deve gerar um grande benefício para os dois estados. Temos uma visão semelhante de que a educação e a pesquisa são a chave do futuro e do desenvolvimento econômico de um estado”, afirmou.

    Enfatizou ainda a qualidade de ensino das universidades do Paraná e que os pesquisadores e estudantes paranaenses serão sempre bem-vindos em Victoria.

    “Temos muito interesse em conhecer mais sobre o sistema de ensino superior e técnico do Paraná, sua pesquisa junto à indústria, para aprendermos mais nestas áreas”.

    O ministro lembrou que a Austrália é o terceiro destino preferido para cursos de graduação e pós-graduação, atrás apenas dos Estados Unidos e Reino Unido.

    A Universidade de Melbourne está entre as melhores do mundo e é referência no país, transformando o município em cidade universitária.

    Atualmente 35 mil estudantes da América Latina, sendo 18 mil do Brasil, frequentam as universidades australianas.

    Victoria tem oito universidades públicas que se destacam em diferentes rankings internacionais. Além da qualidade das escolas técnicas que também são prioridades para a qualificação da mão de obra, com o ensino profissionalizante.

    O secretário da Educação do Paraná, Fernando Xavier Ferreira, enfatizou o crescimento do ensino profissionalizante no estado com uma rede formada por 353 escolas que oferecem 58 cursos para 76 mil jovens, o que representa 19% do total de estudantes do Ensino Médio no Paraná.

    “Nossa rede de educação profissional é três vezes maior que a do Rio Grande do Sul e duas vezes maior que a de Minas Gerais”, destacou.

    Ao falar sobre o sistema de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná, o secretário João Carlos Gomes destacou o potencial do estado que tem uma das maiores redes de universidades públicas e privadas do país.

    “Temos um potencial muito grande, essas possibilidades de intercâmbios nas áreas educacional e de pesquisa são muito importantes e podem contribuir para o desenvolvimento dos dois estados”, afirmou.

    Ressaltou o investimento em infraestrutura das sete universidades estaduais, a qualificação dos docentes, o apoio para projetos de pesquisa e o processo de internacionalização das instituições de ensino superior.

    O secretário do Planejamento, Sílvio Barros, lembrou da importância da cooperação entre os dois estados. “Temos que pensar nessa oportunidade de parceria no sentido do que podemos aprender uns com os outros”. Ele destacou setores do Paraná que ganhariam muito com a parceria. Entre eles o automotivo, florestal e o agroindustrial.

    Foram apresentados quatro painéis que integraram a programação do Encontro: Educação para a América Latina: Planejamento Urbano e Questões Regionais, Habilidades: Desenvolvimento de Sistemas que Respondem às Necessidades da Indústria, Água e Língua Inglesa e Educação a Distância.

    Fazem parte da comitiva australiana cerca de 40 pesquisadores da University of Melbourne, Victoria University, La Trobe University, RMIT Universit, Deakin University, Monash University, Federation University of Australia, Swinburne University of Technology, LH Martin Institute, Chisholm Institute, Melbourne Polytechnic e Box Hill Institute.

    Uma missão de pesquisadores brasileiros deve ir à Austrália em setembro, entre eles cinco paranaenses, para dar continuidade ao processo de aproximação entre os dois estados.

    RETROSPECTIVA – Representantes do governo de Victoria já estiveram no Paraná interessados em estabelecer parcerias nos setores de Educação Superior, Ensino Profissionalizante, Planejamento Urbano, Meio Ambiente e Energias Renováveis.



    Publicado por jagostinho @ 11:47



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.